Menu
 Inicio
 Registro
 Administrador
 Menu
 Torpedos
 Downloads
 Enquete
 Galeria de Fotos
 Seus Links
 Recomende-nos
 Internet_TV
 Artigos
 Internet_Radio3
 Publicações
 Conteudos
 Album
 Estatística
 Fale Conosco

· Procurar

 Radio On
Ouça Agora:
Nenhuma opção foi escolhida



<a href=''>Play Nenhuma opção foi escolhida</a>

Abrir em janela pop-up

 Previsão

 Visitas
Até o momento, recebemos
11754539
vizualizações de páginas (page views) desde July 2007

 Apoios:


FILHA DE ONÇA
Diversos

Filha de Gretchen continua legado da mãe e disputará o Miss Bumbum Brasil 2016

Jenny Miranda é uma dos três filhos adotivos da Rainha do rebolado

Jenny Miranda, filha de Gretchen, vai disputar o Miss Bumbum Brasil 2016 representando o estado do Pernambuco. O concurso começará em 8 de agosto e terminará no dia 9 novembro. A moça é uma dos três filhos adotivos da Rainha do rebolado e diz que a mãe teve influência na hora da disputa pelo posto. "Minha mãe é a rainha do bumbum, nada mais justo que tentar levar essa título para minha família", diz.

Jenny, que já foi dançarina do Mister Catra, conta com a ajuda do marido, o personal trainer Odair Lopes, para manter a boa forma. Segundo Jenny, ela malha três horas diárias e tem uma alimentação balanceada. "Sempre malhei e com o concurso não tem jeito temos de ser mais rigorosos com tudo, incluindo alimentação a exercícios físicos para o bumbum".

Em 2016, o concurso Miss Bumbum terá uma categoria apenas para mulheres acima dos 50 anos. Dona Geralda, ex-integrante do BBB, foi a primeira candidata a ser anunciada pelo evento

 


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

CHUVAS OU MAL FEITO...
Diversos

Com asfalto ‘derretendo’, governo terá de reconstruir 94 km de rodovia

 Com asfalto ‘derretendo’, governo terá de reconstruir 94 km de rodovia

Praticamente todo os 94 quilômetros da rodovia MS-180, trecho que liga Iguatemi a Jutí, terão que ser reconstruídos, de acordo com o secretário da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), Marcelo Miglioli. O objetivo é até semana que vem contratar um projeto executivo para arrumar a pavimentação dos trechos que foram danificados, juntamente com uma auditoria que será insatalada a fim de verificar a responsabilidade das empresas executoras da obra, além da projetista responsável.

Não há ainda uma estimativa de gasto, mas o secretário adiantou que a obra não sairá barato aos cofres públicos. “A situação é muito grave. A MS-180 é uma obra nova que não chegou nem a ser inaugurada e, com exceção do trecho que foi feito ano passado, o restante está derretendo, indo embora. A rodovia não para de dar problema e não há como resolvê-los através de contratos de emergência, é preciso fazer um projeto para que essa situação seja resolvida definitivamente”.

Segundo ele, o problema se deve a cinco fatores: o projeto, a execução, o excesso de chuva, a absorção do tráfego da BR-163 durante 30 dias e a questão das águas dos imóveis rurais, que estão indo para dentro das estradas. “As propriedades fazem sua curva de nível jogando a água para dentro da rodovia e isso causa um problema. Essa somatória levou ao caos que está hoje”. Para evitar acidentes, o secretário informa que rodovia foi sinalizada nesta quarta-feira (11) e os municípios da região terão prorrogados o Estado de emergência.

Nesta quarta-feira (11), trecho foi sinalizado (Foto: Direto das Ruas)Nesta quarta-feira (11), trecho foi sinalizado (Foto: Direto das Ruas)

Outra rodovia que terá o mesmo tratamento é a MS-295. Segundo Miglioli, apesar de ter sido realizada uma obra de restauração, ela terá de ser refeita. “A obra está totalmente danificada e por conta disso também adotaremos o mesmo procedimento da MS-180, ou seja, contrataremos uma empresa para refazer a obra e será instalada uma auditoria para verificar de quem é a responsabilidade”.

Pavimentação de rodovias – De acordo com a Seinfra, assim que forem definidas as empresas para realizar as pavimentações e recapeamentos das rodovias, as regiões de Dourados, Itaporã, MS-156 e a MS-040 serãos as primeiras na lista, já que todas estão sofrendo com o desvio por conta da fuga dos pedágios da BR-163.

MS-470 – No mês passado, vários trechos da rodovia foram recapeadas e, até a semana passada, a obra estava em perfeito estado. Porém, por conta das chuvas e devido à passagem da tocha olímpica entre os dias 25 e 26 deste mês, ela será visitada e monitorada de perto.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

PONTA PORÃ
Diversos

Audiência Pública definiu "Castelinho" como Museu de Ponta Porã

A maioria dos presentes na audiência pública foram favoráveis que o "Castelinho" seja o Museu de Ponta Porã

Na tarde de terça-feira, dia 10 de maio no Plenário Issac Borges Capilé na Câmara de Vereadores de Ponta Porã aconteceu a audiência pública "Castelinho" revitalização, restauração e patrimônio histórico.

A audiência foi organizada pelo Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, através da Secretaria do Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, da Fundação do Estado de Cultura, do Instituto de Patrimônio Histórico Artístico Nacional, do Ministério Público Estadual e da Fundação de Cultura de Ponta Porã.

Fizeram parte da mesa das autoridades o Secretário de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação de Mato Grosso do Sul, Athayde Nery, Prefeito de Ponta Porã, Ludimar Novais, Diretora Presidente da Fundação de Cultura de Ponta Porã, Gisele Benites Flor, Promotor Público do Meio Ambiente e Cidadania, Dr. Gabriel da Costa Rodrigues Alves, Chefe da Divisão Técnica do Instituto do patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Historiador e Arquiteto João Henrique dos Santos, Presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Ponta Porã, Daniel Valdez Puka, Historiador, Pesquisador e Escritor da História da Fronteira, vereador Marcelino Nunes de Oliveira, Gerente do Patrimônio Histórico da Fundação de Cultura do Estado do Mato Grosso do Sul, Cassiano Lima, Tenente Sato do 4º Batalhão da Policia Militar na audiência representando o Comandante Tenente Coronel Waldomiro Centurião Machado.

Logo após a execução do Hino Nacional os presentes assistiram a projeção de um vídeo institucional e João Henrique dos Santos fez a apresentação.

O professor, pesquisador e historiador Yudys Bueno fez "um pequeno relato histórico sobre este prédio que reporta a tantos acontecimentos históricos, que marcaram o desenvolvimento da região de fronteira".

Prefeito Ludimar Novais em seu pronunciamento afirmou que "sou a favor que o Castelinho seja o nosso museu de Ponta Porã e da nossa fronteira".

Marcelino Nunes de Oliveira destacou que as leis municipais que preservam o patrimônio histórico de Ponta Porã "é uma luta inspirada no trabalho parlamentar do secretário Athayde Nery quando foi vereador em Campo Grande e era sua bandeira de luta". O vereador do PROS lembrou que "esta luta do castelinho é de toda sociedade fronteiriça, incluído o Clube dos Carros Antigos de Ponta Porã ao qual eu presido com amigos empenhados na preservação do nosso patrimônio histórico cultural".

Dr Gabriel da Costa Rodrigues Alves salientou "o espirito da fronteira que nos inspira e nos encanta, conseguimos sensibilizar o Governo do Estado e agora o Castelinho terá o destino que todos esperam, além da sua revitalização e preservação estará sendo colocado a disposição de toda sociedade".

A maioria dos presentes na audiência pública foram favoráveis que o "Castelinho" seja o Museu de Ponta Porã.



Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

FIM DE TARDE
Diversos

Menina de 8 anos vai ao mercado de bicicleta e morre atropelada por veículos

A garota era a caçula da família 

Na tarde de hoje, por volta das 16h, um atropelamento matou uma criança na região do Jardim Aeroporto na Capital. Emanuelli Vitória Martins, 8, tinha ido de bicicleta ao mercado e estava no cruzamento entre a rua Urquiza com a avenida Pôr do Sol. Ao tentar atravessar a via, um carro-forte que estava estacionado em frente ao estabelecimento dificultou a visão da garota, que, segundo testemunhas, não viu o veículo que se aproximava.

O Clio com placa NGS 8600 de Camboriú, Santa Catarina, atropelou Emanuelli. Ela foi arremessada contra o para-brisa, batendo a cabeça e caindo em seguida no chão. O motorista, um homem que não foi identificado, prestou atendimento no local.

A Polícia Militar (PM), o Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (BPTran) e a Polícia Civil estiveram no lugar juntamente com a perícia que chegou uma hora e meia depois do acidente. A justificativa do atraso foi porque apenas uma equipe está atendendo sete municípios. Segundo os policiais, o veículo estava em alta velocidade.

Abalados, os familiares estiveram presentes o tempo inteiro junto ao corpo da menina. Emanuelli era a caçula de três irmãos, um adolescente de 14 e um jovem de 21 anos.

O corpo de bombeiros foi acionado durante o ocorrido para atender os familiares que passaram mal. 

Foi um milagre', afirma mulher que teve filho de 10 meses atingido por raio

Caa foi destruída e teve telhas e eletrodomésticos danificados

Leidiane Aparecida Ferreira Duarte, de 33 anos, não tem dúvidas que ela e a família renasceram na manhã de ontem (10). Um raio caiu na casa dela e atingiu a cama tubular onde estava deitada com o marido e o filho mais novo, de apenas 10 meses. A descarga elétrica destruiu parte da casa e eletrodomésticos, mas como um “milagre de Deus” deixou apenas pequenas queimaduras na família.

A mulher conta que era por volta das 7h30 da manhã quando ouviu um trovão forte e logo depois viu apenas o clarão, como se fosse um farol bem alto, dentro de casa. Era o raio atingindo o local. Logo depois, veio o desespero e coberto e o tapete de EVA do filho mai novo começaram a pegar fogo.

O marido, Diogo Bispo, saiu correndo e logo pegou água para apagar o fogo. Passado o susto inicial viram que o filho de 10 meses, teve o queixo e as costas queimadas. Ele foi atingido por um fio que derreteu com a queda da descarga elétrica. Já Leidiane queimou o cotovelo, os ombros e a perna. O marido também sofreu queimaduras, mas nenhum deles sofreu algum dano mais grave.

A família levou o menino à Santa Casa de Campo Grande. Lá ele passou por exames e para a alegria da família nada grave aconteceu. Segundo a assessoria de imprensa da Santa Casa, não houve nada de grave, tanto que ontem mesmo o bebê foi liberado após passar por exames e receber curativos. “O menino foi acolhido, foi medicado, mas não tinha nada grave. Só teve escoriação pertinho do queixo e curativo nas costas e no braço. Foi um susto”, relata.

Solidariedade

Mas apesar da alegria de não ter acontecido nada grave, a família precisa agora reconstruir a casa, que foi bastante danificada. As telhas foram todas quebradas, as TVs queimaram, o ventilador torrou e a geladeira também estragou. “Ficou tudo danificado e não temos como resolver. Eu estou sem trabalho e meu marido é autônomo. Estamos na casa do meu sogro até conseguirmos consertar”, diz.

Ela pede que se alguém puder doar telha, eletrodomésticos, mesmo usados, e roupas para ela e a família favor entrar em contato pelo telefone (67) 9832-3212.

 

12h32

PMA apreende madeira ilegal e autua infrator em 12,3 mil

A Polícia Militar Ambiental (PMA) de Aparecida do Taboado apreendeu ontem terça-feira (10), um caminhão carregado com 21 metros cúbidos de lenha de diversas espécies, com documentação irregular.

O Documento de Origem Florestal (DOF), que é o documento ambiental para o transporte e armazenamento de qualquer produto florestal, estava vencido e a placa informada na documentação não era a mesma do veículo, indicando ser a autorização de carga já transportada.

O proprietário da carga, um homem de 34 anos, morador de Aparecida do Taboado, foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil do município, juntamente com a carga apreendida e responderá por crime ambiental. A pena para este tipo de crime é de detenção que varia de seis meses a um ano. Ele também foi autuado administrativamente pela PMA e foi multado em R$ 12,3.

Fonte: noticias


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

EXECUÇÃO
Diversos

Executada na fronteira era dona de hangar e teve irmão assassinado há um ano

Ela e o marido foram executados com mais de 45 t

Informações apuradas pela equipe de reportagem apontam que a execução do casal pode estar ligada a negócios da família de Kelly Silguero Peralta de 30 anos. Ela e o marido, Alves Borgues de 29, foram assassinatos no início da tarde desta quarta-feira (11) em Ponta Porã, a 313 quilômetros de Campo Grande.

Segundo testemunhas, a nutricionista trabalhava no hangar que pertence ao pai, um mecânico de avião, na cidade paraguaia Pedro Juan Caballero. Em virtude a negócios malsucedidos a mulher foi jurada de morte e por isso já andava com seguranças armados.

De acordo com delegado Patrick Linares da Costa, responsável pelo caso e titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil, nenhum dos familiares do casal, ou testemunhas do crime, quis falar com a polícia e por isso ainda não é possível apontar detalhes sobre as motivações do crime, nem sobre a autoria.

Para o delegado, o depoimento das pessoas próximas as vítimas é essenciais para dar norte às investigações. Por ora, segundo a polícia, a única informação, é que por voltas 12 horas uma dupla de motocicleta alcançou o casal, que estava em um Hyundai I30 e descarregou uma pistola 9 mm contra o carro.

Depois do crime, os autores sugiram para o Paraguai deixando para trás cerca de 50 cápsulas de 9 mm, só no carro foram contabilizadas aproximadamente 45 perfurações. Na bolsa de Kelly os policiais encontraram R$ 3,7 mil.

Conforme o delegado, as vítimas não tinham nenhuma passagem pela polícia, nem qualquer processo no judiciário. “A execução é bem típica com o que vem acontecendo na fronteira, autores de moto, pistola 9 mm e fuga para o Paraguai. Na maioria das vezes elucidamos a motivação, mas não tem como provar”, explica o delegado.

Rafael passou no concurso para o cargo de analista para Receita Federal em 2009 e exercia a função de chefe da seção de Tecnologia da Informação da inspetoria da Receita Federal do Brasil, na unidade de Ponta Porã. Já Kelly, era nutricionista formada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

Há um ano 

No dia 12 de maio de 2015, o irmão de Kelly, Christian Silgueiro Peralta, de 34 anos foi assassinado com cinco tiros durante um suposto assalto na residência que morava em Santo Antônio de Leverger (cidade do Mato Grosso, distante 36 quilômetros da capital Cuiabá).

Na data, dois homens invadiram a casa do ponta-poranense, que viu a ação dos bandidos e tentou correr para pedir ajuda. Neste momento ele foi atingido por cinco disparos de arma de fogo e morreu no local. Vizinhos ouviram os disparam e acionaram a polícia, que chegou a trocar tiros com os autores.

Horas depois, um dos suspeitos foi encontrado ferido com sinais de escoriações por todo o corpo e dois ferimentos causados por tiros. Edvaldo Campos, como foi identificado, estava dirigindo um veículo Ágile com um homem de refém pela MT-040 com a Rodovia dos Imigrantes. O suspeito foi socorrido, mas não resistiu ao ferimento.

Christian já tinha sofrido uma tentativa de homicídio na fronteira em 2012, quando estava em um veículo Toyota Corolla, placas ETS 2009 de Ponta Porã, e foi surpreendido por atiradores que estavam em uma caminhoneta Toyota de cor preta portando placa provisória.

No mesmo ano, ele foi preso em flagrante pela polícia federal por evasão de fronteira. Com ele foram apreendidos com U$ 19 mil e por isso, ele foi condenado pelo juiz federal Odilon de Oliveira.(Colaboradora Gerciane Alves)

Asesinaron a una pareja en Ponta Porã, se presume relación con el narcotráfico
  FECHA: 2016-05-11 visita 7751
Las víctimas fueron identificadas como Kelly Silguero Peralta (30) y Rafael Alves Borges (29), funcionario de la Receita Federal de Ponta Porã.
notas

El crimen ocurrió en el barrio Ignez Andreazza cerca del mediodía de este miércoles (11). La pareja estaba a bordo de un automóvil Hyundai, color negro, chapa NRN-2559 del municipio de Campo Grande (MS) cuando se aproximaron cuatro sicarios en dos motocicletas y dispararon con pistolas calibre 9 milímetros. Más de 50 disparos fueron realizados.

Kelly era hermana de Cristian Silguero Peralta, asesinado en mayo del año pasado en Cuiabá.

Cristian ya había sufrido un atentado en setiembre del año 2012 en compañía del brasileño Evandro Dos Santos. Pocas horas después del ataque fallido, fue asesinado en Bolivia el conocido narco William Arévalos y no se descartó en su momento una relación entre ambos atentados.


 


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

Zeca do PT diz estar "envergonhado" com a omissão do MPE
Diversos

O deputado federal Zeca do PT afirmou que vai, mais uma vez, formalizar no Conselho Nacional denúncia de que o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) está sendo omisso com relação às investigações da Lama Asfáltica.

“Registro mais uma vez, minha indignação com a vergonhosa omissão do MPE-MS, que além de omisso, se esquiva do seu papel de investigar, por isso, estou mais uma vez denunciando o Ministério Público Estadual no Conselho Nacional. O MPE-MS nos envergonha, e não cumpre com seu papel constitucional”, postou o deputado nesta terça-feira (10) no seu facebook.

A afirmação está no final do texto postado. Antes, ele fala da Operação Fazendas da Lama, realizada pela Polícia Federal, CGU (Controladoria-Geral da União) e Receita Federal, que levou à prisão 15 investigados.

“Já era tempo a expectiva de tal iniciativa por parte do povo sul-mato-grossense. Afinal é de conhecimento de muitos o antigo esquema de desvio de recursos públicos, por meio de contratos da Agesul, que segundo Polícia Federal resultaram em aquisições de imóveis urbanos, aviões e fazendas com aproximadamente 66 mil hectares de terras”, afirma Zeca do PT.

O deputado petista também reclama da ausência de protestos nas ruas por conta desse esquema de corrupção. Embora não diga isso claramente, mas ele faz a comparação com os movimentos contra o governo de Dilma Rousseff, que corre o risco de ser afastada pelo Senado em votação a ser realizada nesta quarta-feira (11).

“Chama-me a atenção o silêncio das ruas. Onde estão os arautos da luta contra corrupção. Com certeza envergonhados, porque muitos fazem parte do mesmo grupo”, reclama o parlamentar.

A reclamação do político petista é com relação à investigação que está sendo feita desde o ano passado por uma Força Tarefa de promotores de justiça, sobre o desvio de recursos públicos estaduais no âmbito da Lama Asfáltica. Como os órgãos federais detectaram também irregularidades em obras rodoviárias executadas com verbas federais, passou a compartilhar provas e escutas telefônicas feitas com autorização da justiça da Operação Lama Asfáltica.

Na Operação Fazendas da Lama, que é a segunda fase da Lama Asfáltica, foram também cumpridos 28 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Rio Negro, Maringá e Curitiba (ambos no Paraná) e nas cidades paulista de Presidente Prudente e Tanabi. Nessa fase, a investigação foi concentrada em identificar onde o dinheiro obtido pela organização criminosa era usado.

Os recursos eram oriundos de fraudes em licitação e também em pagamento por serviços não realizados ou executados com qualidade inferior ao contratado. A justiça também decretou o sequestro de bens de 24 investigados.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

DITADURA NUNCA MAIS
Diversos

Projeto República, da UFMG, publica arquivos da ditadura militar na internet

Ordem do golpe de 64 está disponível no site Brasil.doc  (Foto: Projeto República/Brasil Doc/Reprodução)

 

Documentos são referentes a órgãos de repressão e movimentos sociais.
Mais de 4 mil papéis foram disponibilizados até o momento.

“É um elemento de equilíbrio mental razoável, parece moldável e seu aspecto físico razoavelmente sadio”. A frase aparece em um relatório do Centro de Informações da Marinha (Cenimar), órgão criado para obter informações de interesse da ditadura militar (1964-1985),  Ele descreve um candidato a agente que se infiltraria em meio a pessoas contrárias ao regime. O documento de 1973 está em uma das mais de 4,3 mil páginas publicadas desde o início do mês no site Brasil Doc, uma iniciativa do Projeto República, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

“O objetivo é tentar despertar nas pessoas a curiosidade para conhecer este período que ainda ecoa no nosso presente. A gente tem uma memória que está em disputa. Uma parte da sociedade quer conhecer o que aconteceu e outra quer que esses fatos fiquem apenas no passado. O objetivo é fomentar o debate”, disse o pesquisador e integrante do Projeto República, Wilkie Buzatti.

Os papéis foram reunidos durante os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade (CNV), entre 2011 e 2014, para dar luz às violações aos direitos humanos ocorridas no Brasil entre 1946 e 1988. O Projeto República, criado em 2001, participou da iniciativa colaborando com dados já levantados e analisando novos documentos. Com o fim da CNV, a UFMG ficou com um arquivo de mais de 15 mil registros sobre o período militar.

“As cópias do trabalho ficaram conosco e decidimos dar ao público um acesso mais amplo dos documentos através da internet”, disse Buzatti.

O projeto prevê indenização para perseguidos durante a ditadura militar (Foto: Arquivo/ Ales)A ditadura militar durou 21 anos (Foto: Arquivo/ Ales)

Os papéis são de órgãos de informação do regime, como o Destacamento de Operações de Informação - Centro de Operações de Defesa Interna (Doi-Codi), de movimentos sociais,  de grupos contra a repressão e de mobilizações estudantis. A expectativa é que todo o material seja publicado até 2017.

“A ideia é que seja um site de alimentação permanente, de acordo com o material reunido”, explicou Buzatti.

Segundo o Projeto República, a publicação destes documentos também pretende evitar que se repita o que aconteceu no dia 1° de abril de 1964, data do início da ditadura no Brasil. Veja um trecho da ordem do golpe militar, disponível no Brasil Doc.

“Não é necessário por em evidência o clima vivido pela população brasileira, presa de verdadeiro pânico, nos últimos tempos, tão inequívocos as manifestações diárias desses elementos, já de tal forma seguros do sucesso que nem mesmo buscavam mascarar seus desígnios. Entretanto, a ofensa aos textos legais gera, por si mesma, situações inesperadas, que modificam inteiramente os planos mais urdidos, e, quase sempre vão além dos objetivos iniciais e passam a conduzir os acontecimentos, suas origens e desnorteando criadores. Foi o que se deu”.

Documento mostra o valor pago a agente infiltrado durante a ditadura (Foto: Projeto República/Brasil Doc/Reprodução)Documento mostra o valor pago a agente infiltrado durante a ditadura (Foto: Projeto República/Brasil Doc/Reprodução)

 

 


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

ZECA DO PT
Diversos

Zeca do PT diz que Delcídio do Amaral está 'colhendo o que plantou'

Deputado federal afirma que decisão do senado foi justa

O deputado federal Zeca do PT, disse que a cassação do agora, ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido) foi justa e que ele está “colhendo o que plantou”. Segundo ele foi um absurdo Delcídio tentar vincular suas ações criminosas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Roussef, além de que os elementos que ele disse não há provas alguma.

O senador sul-mato-grossense, Delcídio do Amaral (sem partido) foi cassado nesta terça-feira (10), por 74 votos favoráveis e apenas uma abstenção, não tendo votos contrários pelos presentes. Do total de 81 senadores, para ser aprovada a cassação era necessária 41 votos, sendo a maioria absoluta.

“Nada que ele disse em sua defesa tem provas que comprovem. Foi inadmissível ele querer justificar suas ações criminosas culpando a Dilma e o Lula. Essa decisão do senado já era esperada. Os senadores não tinham outra cosia a se fazer, caso contrário ficaria ruim pra eles, manter um senador após os atos que Delcídio cometeu. Se ele tinha alguma expectativa de que isso não ocorreria se enganou profundamente”, disse Zeca.

Ao ser questionado sobre prejuízo de tudo isso ao PT, que Delcídio ficou por muito anos, Zeca do PT disse que Delcídio nunca foi de fato do partido e agora está aliviado. “Foi um erro termos admitido ele no nosso partido e eu me incluo nisso. Delcídio nunca foi do PT, nunca compartilhou com a nossa ideologia e programa, pelo contrário, sempre nos traiu. Na última eleição por exemplo, ele apoiou a Simone e o Moka, que hoje votaram pela cassação dele. Está colhendo o que plantou. Estou aliviado com a sua saída do PT e agora do senado”, destacou o parlamentar federal petista.

Delcídio do Amaral responde a processo por quebra de decoro parlamentar por tentar obstruir as investigações da Lava Jato. Ele foi preso em novembro de 2015, pela Polícia Federal, sob acusação de oferecer R$ 50 mil mensais à família de Nestor Cerveró para tentar convencer o ex-diretor da área internacional da Petrobras a não fechar um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF).


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

DELCIDIO
Diversos

Em nota, Delcídio diz que cassação é fruto de ‘manobra’ de Renan Calheiros

"Típica do gangsterismo"

Após a decisão que resultou na cassação do seu mandato, o senador cassado Delcídio Amaral (sem partido) divulgou uma nota em que diz que o resultado da votação foi fruto de uma "manobra" do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), "típica do gangsterismo que intimida pessoas e ameaça instituições". A nota também foi subscrita pelo advogado de Delcídio, Antonio Augusto Figueiredo Basto.

O ex-senador Delcídio do Amaral diz, em nota, que a cassação do seu mandato ocorreu com "atropelo de ritos e supressão de garantias"Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Na nota, Delcídio diz que a decisão dos senadores foi açodada e que Renan adotou um "espírito revanchista de quem se julga acima da lei e do Direito".

Segundo o texto, o desfecho que resultou na cassação do mandato de Delcídio ocorreu com "atropelo de ritos e supressão de garantias" refletindo "uma retaliação vil à sua condição de colaborador da Justiça."

O texto critica o fato de a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) ter voltado atrás e revisto, em reunião extraordinária, uma decisão tomada na noita desta segunda-feira (9), na qual o colegiado deliberou pela suspensão do processo após pedido da defesa do ex-senador. O pedido fez referência a um aditamento à delação premiada de Delcídio no Supremo Tribunal Federal.

Segundo a defesa, o aditamento traria evidências de que Delcídio agiu sob orientação do governo, o que poderia acarretar na mudança do julgamento dos seus pares.

Inicialmente, a comissão acatou o requerimento apresentado pelo senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e suspendeu o trâmite do processo, mas, após Renan citou a decisão da Comissão de Constituição e Justiça sobre o tema que informa que a delação estava em segredo de Jutiça, após isso colegiado voltou atrás e acolheu o parecer do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) pela continuidade do processo de cassação.

"A manobra para alterar o que fora inicialmente deliberado revela a preocupação de quem pretende manter-se nas sombras da impunidade e esconder o aditamento recentemente oferecido pela Procuradoria-Geral da República perante o Supremo Tribunal Federal. A tentativa de emudecer Delcídio Amaral e esconder o já mencionado aditamento será objeto de pronta representação contra o senador Renan Calheiros por obstruir o procedimento e constranger a Casa legislativa", diz o ex-senador.

Na nota, Delcído diz que, em razão da ausência do senador e da sua defesa, Renan suspendeu a sessão para indicar um advogado dativo para falar por ele. "Ainda em tempo, cabe esclarecer que a defesa constituída [o advogado Antonio Augusto Figueiredo Basto] repele a nomeação de defensor ad hoc e não se fez presente à sessão para não compactuar com as arbitrariedades dessa comédia de fantoches, protagonizada pelo autoritarismo de quem se encastela no poder de ameaça e intimidação."

Acusado de quebra de decoro parlamentar e de obstrução da Justiça, Delcídio, ex-líder do governo no Senado, teve o seu mandato cassado na noite desta terça-feira por 74 votos favoráveis, uma abstenção e nenhum voto contra.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

Temer tem proposta para cortar dez ministérios
Diversos

 

O presidente em exercício do PMDB, senador Romero Jucá (RR), disse nesta terça-feira (10) que, durante reunião da cúpula do partido, o vice-presidente da República, Michel Temer, apresentou uma proposta para reduzir dez ministérios, caso ele assuma a presidência com o eventual afastamento de Dilma Rousseff.

O encontro, realizado na residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros(PMDB-AL), aconteceu na véspera da sessão que vai votar a abertura ou não de processo de impeachment da presidente Dilma no Senado.

“O vice-presidente Temer apresentou a nova configuração de proposta para o ministério com a redução de dez ministérios. Essa proposta tem apoio integral do Senado, do presidente Renan, de todos nós que lutamos para que a máquina pública pudesse ser diminuída. Acho que essa é uma resposta à sociedade que é importante”, afirmou Jucá após a reunião.

Segundo ele, entre as mudanças em estudo para a Esplanada dos Ministérios estão a fusão do Ministério dos Portos e [da Secretaria de] Aviação Civil ao Ministério dos Transportes. Uma outra possibilidade é integrar o Ministério do Desenvolvimento Agrário ao Ministério do Desenvolvimento Social. Já o Ministério das Comunicações seria incorporado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.

“O presidente Michel irá anunciar no momento adequado, mas a ideia é reduzir dez ministérios exatamente para dar um formato menor e sobrar mais recursos”, afirmou Jucá.

Além do senador, também participou da reunião o ex-deputado do PMDB da Bahia, Geddel Vieira. Tanto Geddel quanto Jucá são nomes cotados para assumir ministérios em um eventual governo Temer.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

FIM DE NOITE
Diversos

IGUATEMI

Barragem transborda e coloca 
em risco pontes de rodovia

Equipe da Defesa Civil monitora situação

Devido as fortes chuvas registradas no Sul do Estado, a barragem do Balneário Piraí, situada as margens da rodovia MS-295, em Iguatemi, transbordou na tarde de ontem (9). Volume de chuva acumulado na região é de 260 milímetros em apenas 48 horas.

A preocupação da Defesa Civil, que vem monitorando a situação, é de que a represa se rompa de uma vez, já que as laterais estão comprometidas. Caso isto aconteça, a segurança de quem trafega pelo trecho que liga a cidade de Eldorado e as faixas de fronteira com a Argentina, pode ficar comprometida.

Primeiro suplente de Delcídio diz que pretende assumir vaga no Senado

Pedro Chaves dos Santos (PSC) tem vínculo familiar com José Carlos Bumlai.
Com patrimônio declarado de R$ 68 milhões, ele terá 30 dias para assumir.

 Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS), senador suplente da vaga de Delcídio do Amaral (Foto: Divulgação)

 

Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS), senador suplente da vaga de Delcídio do Amaral (Foto: Divulgação)

Com a cassação do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), o primeiro suplente, o empresário Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS), será convocado a ocupar a vaga aberta no Senado. Ele terá até 30 dias para assumir a cadeira do ex-líder do governo na Casa.

A assessoria de Chaves dos Santos informou ao G1 que ele tem intenção de assumir o mandato, que se encerra em 2018.

Delcídio teve o mandato cassado por 74 votos a favor, nenhum contra e uma abstenção, em sessão realizada na noite desta terça-feira (10). O senador respondia a processo por quebra de decoro parlamentar por tentar obstruir as investigações da Lava Jato, operação da Polícia Federal que prendeu o Delcídio em novembro de 2015.   

Perfil
Formado em Economia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Pedro Chaves dos Santos é empresário do ramo da educação em 
Mato Grosso do Sul. Ele fundou um grupo de faculdades particulares no estado, entre as quais a Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal (Uniderp).

O suplente de Delcídio vendeu parte das escolas de ensino superior que possui ao grupo Anhanguera em uma transação milionária. À Justiça Eleitoral, ele declarou ser dono de um patrimônio de mais de R$ 68 milhões.

Pedro Chaves dos Santos possui vínculo familiar com o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que está preso em regime domiciliar por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

Uma filha do suplente de Delcídio é casada com um dos filhos do pecuarista. Bumlai é réu na Lava Jato por corrupção passiva, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro.

 

Forte temporal abre enorme cratera na MS-180, na cidade de Iguatemi (MS)

Barragem de concreto no rio Piraí não suportou tanta água e se rompeu.

Forte temporal abre enorme cratera na MS-180, na cidade de Iguatemi (MS)

Barragem de concreto no rio Piraí não suportou tanta água e se rompeu.

 

MS-180, em Iguatemi, quase foi engolida pela água (Foto: TV Morena)

A intensidade chuva dos últimos dias tem castigado a região sul de Mato Grosso do Sul. Na MS-180, o volume da água abriu um buraco que engoliu quase todo asfalto. E na MS-295, uma erosão foi aberta, colocando em risco dos motoristas que passam pela rodovia.


O G1 entrou em contato com a assessoria do governo do estado, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.


Em Iguatemi, município distante 451 quilômetros de Campo Grande, choveu em três dias mais do que o esperado para todo o mês de maio quando era previsto 90 milímetros de água. A meteorologia registrou na cidade desde o fim de semana 97 milímetros.


Na MS-180, mesmo com o risco por causa do buraco aberto na pista, motoristas se arriscam e tentam passar. “Vou me arriscar, não tem outra rota”, afirmou o produtor de terra José Fabiano dos Santos.

Em outra rodovia, os motoristas são avisados por uma placa de sinalização sobre alerta de risco, improvisada pelos moradores próximos da MS-295.


O nível do rio Jogui subiu cinco metros acima do normal e invadiu áreas de pastagem. A situação está mais complicada com a cheia do rio Piraí. Parte de uma barragem de concreto não suportou o volume da água e se rompeu.


A Defesa Civil do município diz que a barragem é antiga, construída nos anos 60. A instituição alerta para o risco do rompimento completo se a chuva continuar intensa. Caso isso ocorra, a força da água pode prejudicar a estrutura de uma ponte na MS-295. Com G1. 

 


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

DOLAR
Diversos

Dólar fecha a terça-feira em queda e volta a ficar abaixo de R$ 3,50

Dólar perdeu 1,65% frente ao real, a R$ 3,4666; em 2016, queda é de 12%

 10/05/2016 - 16h35
Moeda americana fecha em queda (Foto: Ilustração)

O dólar fechou em queda em relação ao real nesta terça-feira (10), abaixo de R$ 3,50, com investidores de olho no cenário político com a proximidade da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado e novamente sem atuação do Banco Central.


O dólar recuou 1,65%, a R$ 3,4666.


A moeda havia fechado abaixo de R$ 3,50 pela última vez no dia 2 de maio.

No mês de maio, o dólar acumula alta de 0,77%. No acumulado de 2016, a moeda dos EUA recua 12% frente ao real.


Na segunda-feira (9), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), confirmou que colocará em votação na quarta-feira o pedido de abertura do processo de impeachment, que poderá culminar no afastamento temporário de Dilma, levando o vice Michel Temer a assumir o posto. 


Temer já sinalizou que Henrique Meirelles, ex-presidente do BC, será seu ministro da Fazenda, o que tem agradado os mercados, segundo a Reuters.


Na sessão anterior, o dólar chegou a subir quase 5% na máxima do dia após o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), suspender a votação do processo de impeachment na Casa. A alta perdeu força, no entanto, conforme o processo foi mantido no Senado, e a moeda terminou o dia a R$ R$ 3,5249.


À noite, o próprio deputado revogou sua decisão de anular a sessão de votação que aprovou o impeachment.


O Banco Central mais uma vez não anunciou leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólares, pela quinta sessão sem intervenção.


No exterior, o dólar subiu em relação a uma cesta de moedas. A moeda norte-americana teve alta ainda frente ao iene, após o ministro das Finanças do Japão alertar que o país vai intervir no mercado de câmbio se as altas "unilaterais" do iene durarem tempo suficiente que prejudiquem a economia, de acordo com a Reuters.

SIDROLÂNDIA

Jovem morre depois de ser fechado 
e bater em van da prefeitura

Conversão repentina para fazer retorno teria ocasionado o acidente

 

Edemar Silva Baroso, 24 anos, morreu hoje (9) depois de ser atingido por van da Prefeitura de Sidrolândia. Morador do Capão Bonito, ele conduzia uma moto e teria sido fechado na Avenida Dorvalino dos Santos.

O acidente, conforme o site Região News, teria ocorrido depois que o Fiat Ducato do município realizou conversão repentina à esquerda para entrar em retorno na avenida. Edemar seguia de moto logo atrás, não conseguiu frear e foi parar embaixo da van.

Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a encaminhá-lo ao Hospital Elmiria Silvério Barbosa, onde morreu depois de uma parada cardíaca.



Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

senador delcidio amaral foi cassado
Diversos

Senado cassa mandato de Delcídio por 74 votos a favor e nenhum contra

Para senadores, Delcídio quebrou o decoro ao tentar obstruir Lava Jato.
Suplente Pedro Chaves dos Santos terá até 30 dias para assumir mandato.

Gustavo Garcia e Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília

Por 74 votos a favor, nenhum contra e uma abstenção, o plenário do Senado cassou nesta terça-feira (10) o mandato do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) por quebra de decoro parlamentar. O mandato dele se encerraria somente em 2018.

A única abstenção foi do senador João Alberto (PMDB-MA), presidente do Conselho de Ética do Senado.

Ex-líder do governo no Senado, ele foi preso pela Polícia Federal (PF), em novembro do ano passado, por tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato ao oferecer R$ 50 mil mensais à família de Nestor Cerveró para tentar convencer o ex-diretor da Petrobras a não fechar um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF).

Delcídio foi solto em fevereiro após fechar um acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República. Ele ficou 87 dias na cadeia.

A decisão de cassar o mandato do senador do Mato Grosso do Sul deverá ser publicada na edição desta quarta (11) do “Diário Oficial doSenado” juntamente com um comunicado convocando o primeiro suplente de Delcídio, o empresário sul-matogrossense Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS). O suplente terá até 30 dias para assumir a cadeira de Delcídio.

Para que Delcídio perdesse o mandato, eram necessários, pelo menos, 41 votos favoráveis. O pedido de cassação do ex-líder do governo foi protocolado no Conselho de Ética, em dezembro, pela Rede Sustentabilidade e pelo PPS.

Gravações
A conversa na qual Delcídio oferece um plano de fuga para o ex-dirigente da Petrobras 
foi gravada por Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró. No áudio, o então líder do governo diz que conversaria com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para que os magistrados intercedessem em favor de Cerveró.

Na delação premiada, o senador cassado citou o nome de vários políticos de expressão nacional, entre eles a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado, Renan Calheiros(PMDB-AL), e o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG).

Conselho de Ética
O processo de cassação de Delcídio do Amaral no Conselho de Ética se estendeu ao longo de cinco meses. Desde que foi libertado por ordem do Supremo, o senador se manteve afastado do Senado com consecutivas licenças de saúde. Ele foi convidado quatro vezes a depor no colegiado para se defender, mas, não compareceu em nenhuma delas e o conselho desistiu de ouvi-lo.

No dia 3, o Conselho de Ética aprovou o relatório do senador Telmário Mota (PDT-RR) que recomendava a cassação do mandato de Delcídio. Em seu parecer, o relator defendeu que, pelo conteúdo da gravação, o senador sul-matogrossense infringiu o decoro parlamentar e, por isso, deveria perder o mandato.

A defesa de Delcídio, entretanto, tentou barrar a cassação alegando que o senador não estava exercendo atividade parlamentar quando foi gravado por Bernardo Cerveró. Os advogados do ex-líder do governo também afirmaram que eram bravatas as promessas que Delcídio fez ao filho de Cerveró de que iria pedir a intervenção de ministros do STF para tentar garantir a liberdade do ex-diretor da Petrobras.

Por fim, quando perceberam que era praticamente irreversível a cassação de Delcídio, os defensores propuseram que fosse aplicada uma pena mais branda do que a cassação, como perda temporária do mandato ou censura. No entanto, a proposta foi ignorada pelos senadores.

Delcídio no Senado
A única vez em que Delcídio apareceu no Senado para se defender foi nesta segunda-feira (9). Ele compareceu à sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) convocada para analisar a legalidade do relatório aprovado no Conselho de Ética.

Diante dos colegas de Senado, Delcídio pediu "desculpas" pelo constrangimento que causou aos pares e afirmou que é "acusado de obstrução de Justiça", mas que isso não é um crime grave. "Eu não roubei, não desviei dinheiro, não tenho conta no exterior. Estou sendo acusado de quê? De obstrução de Justiça", enfatizou.

Na ocasião, a análise do processo na CCJ chegou a ser adiada depois que os integrantres da comissão aprovaram, por maioria, um requerimento do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) que solicitava ao Supremo informações adicionais sobre o caso.

Renan Calheiros, porém, barrou a manobra que daria mais tempo a Delcídio. O presidente do Senado condicionou a votação do processo de cassação de Delcídio para pautar para esta quarta-feira (11) a sessão que poderá autorizar a instauração do processo de impeachment de Dilma.

Com o ultimato, os integrantes da CCJ aceitaram apreciar no plenário a legalidade do relatório do Conselho de Ética, liberando o processo para ser votado nesta terça pelos senadores.

Político com perfil técnico
Delcídio do Amaral Gomez, 61 anos, é formado em engenharia elétrica. No começo dos anos 90, ele atuou como diretor da petroleira Shell na Holanda. O ex-líder do governo também foi ministro interino de Minas e Energia no governo do ex-presidente Itamar Franco.

Delcídio atuou ainda como diretor da Eletrosul, empresa pública que cuida do sistema elétrico na Região Sul. Ele também chegou a participar do Conselho de Administração da mineradora Vale.

Depois de transitar em cargos de alto escalão no setor de energia, Delcídio se elegeu, em 2002, senador pelo Mato Grosso do Sul. Em seu primeiro mandato, ele ganhou notoriedade nacional como presidente da CPI dos Correios, que investigou o esquema de compra de votos parlamentares em troca de apoio ao governo Lula no Congresso, o chamado mensalão do PT.

Em 2006, Delcídio concorreu a governador de Mato Grosso do Sul, mas acabou derrotado no primeiro turno. Quatro anos mais tarde, ele se reelegeu para o Senado.

Suplente
Com a cassação de Delcídio, o primeiro suplente do senador, o empresário Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS), será convocado a ocupar a vaga aberta no Senado. O suplente terá até 30 dias para assumir a cadeira do ex-líder do governo.

A assessoria de Chaves dos Santos informou ao G1 que ele tem a intenção de assumir o mandato que se encerra em 2018.

Formado em Economia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Pedro Chaves dos Santos é empresário do ramo da educação em Mato Grosso do Sul. Ele fundou um grupo de faculdades particulares no estado, entre as quais a Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal (Uniderp).

O suplente de Delcídio vendeu parte das escolas de ensino superior que possui ao grupo Anhanguera em uma transação milionária. À Justiça Eleitoral, ele declarou ser dono de um patrimônio de mais de R$ 68 milhões.

Pedro Chaves dos Santos possui vínculo familiar com o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula que está preso em regime domiciliar por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção que atuava na Petrobras. Uma filha do suplente de Delcídio é casada com um dos filhos do pecuarista. Bumlai é réu na Lava Jato por corrupção passiva, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro.

Outros casos
Não é a primeira vez que um senador perde o mandato por quebra de decoro parlamentar. Demóstenes Torres (GO), que era filiado ao DEM, 
foi cassado em 2012, e Luiz Estevão (DF), ex-PMDB, perdeu o mandato no ano de 2000.

Demóstenes foi acusado de quebra de decoro parlamentar por suspeita de ter utilizado o mandato para auxiliar os negócios do contraventor Carlinhos Cachoeira, preso pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, sob acusação de explorar jogos ilegais. Poucos dias após a prisão do contraventor, surgiram notícias do envolvimento de Carlinhos Cachoeira com Demóstenes Torres.

Demóstenes foi cassado com 56 votos favoráveis, 19 contra e cinco abstenções. Ele está inelegível até 2027.

Já Luiz Estevão perdeu o mandato sob a acusação de ter mentido no Senado ao negar envolvimento no desvio de R$ 169 milhões nas obras do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo. A cassação de Luiz Estevão recebeu 52 votos a favor, 18 contra e dez abstenções.

Ele ficou inelegível até 2015. Atualmente, Estevão está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, acusado de corrupção ativa, estelionato, peculato, formação de quadrilha e uso de documento falso nas obras do TRT de São Paulo.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

Nota Pública Operação Fazendas de Lamas‏
Diversos

Resultado de imagem para zeca do pt

A Polícia Federal realizou hoje (10), a segunda fase da operação "Lama Asfáltica" com prisões e buscas e apreensões. Já era tempo a expectiva de tal iniciativa por parte do povo sul-mato-grossense. Afinal é de conhecimento de muitos o antigo esquema de desvio de recursos públicos, por meio de contratos da Agesul, que segundo Polícia Federal resultaram em aquisições de imóveis  urbanos, aviões e fazendas com aproximadamente 66 mil hectares de terras.

Eu que durante muito tempo fui vítima da calúnias torpes deste mesmo grupo, acusando-me de enriquecimento ilícito, sinto-me recompensando. Que seja feita justiça.

Chama-me a atenção o silêncio das ruas. Onde estão os arautos da luta contra corrupção. Com certeza envergonhados, porque muitos fazem parte do mesmo grupo.

Por fim, registro mais uma vez, minha indignação com a vergonhosa omissão do MPE-MS, que além de omisso, se esquiva do seu papel de investigar, por isso, estou mais uma vez denunciando o Ministério Público Estadual no Conselho Nacional. O MPE-MS nos envergonha, e não cumpre com seu papel constitucional.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

Câmara rejeita a criação de Comissão Processante contra prefeito
Diversos

 

Com oito votos contra e seis a favor, a Câmara Municipal de Vereadores de Ponta Porã rejeitou na sessão ordinária desta terça-feira, 10 de maio, a criação de uma Comissão Processante, em desfavor ao prefeito, Ludimar Novais (PDT).

Após discussões e debates entre os quinze vereadores sobre três requerimentos, principalmente o nº318/2016 de autoria do vereador Cândido Gabinio, que encaminhava a denúncia contra o prefeito, o mesmo teve os votos contrários da maioria, sendo dos vereadores Adãozinho Dauzacker, Agnaldo Miudinho, Biro Biro, Brunoí, Cesar Mattoso, Marcelino Nunes, Osmar de Matos e Raphael Modesto. Os votos favoráveis foram do presidente da Casa de Leis, Daniel Valdez – Puka, Caio Augusto, Marquinhos, Otaviano Cardoso, Prof. Hugo e Rony Lino. O vereador Cândido Gabinio não votou, pois era o denunciante.

O requerimento visava a criação da Comissão Processante contra o prefeito, Ludimar Novais, por não ter respondido no prazo de 60 dias, a um oficio em forma de requerimento nº 57/2016, do vereador Otaviano Cardoso (PSDB), que foi assinado pelos 15 vereadores, no dia 25 de fevereiro deste ano, tendo como conteúdo questionamentos e pedidos a respeito da área da saúde.

De acordo o vereador Cândido Gabinio (PSDB), autor do requerimento, o prefeito, Ludimar Novais, “demonstrou completo descaso com esta Casa de Leis, o denunciado ignorou, completamente, por mais de sessenta dias, os questionamentos a ele dirigidos através do Requerimento nº57/2016”.

O presidente da Câmara, Puka, disse que seu posicionamento era favorável a criação da comissão. “Esta atitude do prefeito Ludimar Novais é um desrespeito a Casa de Leis e para toda a população, pois ele demonstrou descaso ao ignorar o requerimento do vereador Otaviano Cardoso. Mesmo encaminhando resposta somente após o prazo, porém não apresentava conteúdo com totalidade da documentação solicitada”, disse o presidente.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

CASTELINHO
Diversos
016 07h

Audiência Pública poderá fazer "Castelinho" virar Museu em Ponta Porã

Audiência pública "Castelinho": Restauração, Revitalização e Patrimônio Histórico nesta terça-feira dia 10 de maio, no Plenário Issac Borges Capilé às 14 horas na Câmara de Ponta Porã.

As inscrições para participar do plenário começou no dia 3 e vai até o dia 10 de maio de 2016 no Ministério Público Estadual, Fundação Municipal de Cultura e na Câmara Municipal de Vereadores de Ponta Porã.

A audiência pública é uma iniciativa do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, através da SECTEI, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Ministério Público de Ponta Porã.

O "Castelinho" por suas características arquitetônicas de fortificação é um exemplo de arquitetura militar, construído na década de 20, foi sede do novo Território Federal de Ponta Porã, conforme o decreto lei de Getúlio Vargas, sendo gabinete do então presidente. O prédio foi tombado como patrimônio histórico pelo decreto 3.940, de 04 de novembro de 1996.

O "Castelinho" faz parte do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural do Município de Ponta Porã por conta da Lei 3512, criada por Marcelino Nunes de Oliveira, sancionada pelo então prefeito Flávio Kayatt no dia 11 de dezembro de 2006.

O objetivo da reforma é transformar o imóvel em um Museu Histórico onde poderá expor a história da fronteira através de fotos e objetos, que contará com a colaboração dos munícipes. O vereador Marcelino, conta com um acervo com mais de duas mil fotos antigas digitalizadas, que ele disponibilizará para o Museu


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

MILHO
Diversos :11

Clima não favorece e produção de milho safrinha tem queda de 18%

Faltou chuva no período de crescimento do grão no Estado. (Foto: Aprosoja/MS)

As condições climáticas têm causado muitos prejuízos aos agricultores do Estado. Depois da chuva atrapalhar o plantio e colheita da soja, agora a estiagem em algumas regiões atrapalha o andamento do milho safrinha. A Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul) estima queda de 18% na produção do grão.

 

O tempo seco e a falta de chuva durante várias semanas afetou o desenvolvimento do milho safrinha e a produtividade de sacas por hectares, estimada inicialmente em 82, já caiu para 72. Além disso, o Estado deve produzir 7,517 milhões de toneladas do grão, 18% a menos que a previsão de 8,5 milhões de toneladas.

De acordo com o presidente da Aprosoja/MS, Christiano Bortolotto, apesar da chuva dos últimos dias, a tendências é de queda na produção nas próximas semanas. "Os levantamentos ainda sinalizam queda devido, principalmente, ao período de estiagem registrado em abril deste ano, que comprometeu boa parte do milho plantado", avalia.

O presidente também explica que o desempenho da safra passada foi acima do normal, gerando excelente resultado de produção, principalmente devido as boas condições climáticas. Isso aumenta a diferença em relação a produção deste ano, que enfrenta problemas com a falta de chuva.

Dados - Ainda conforme números da Aprosoja, 70% do milho safrinha está em pleno desenvolvimento. Isso significa que 30% do total plantado ainda está em fase vegetativa, que é a etapa que antecede a reprodução dos grãos na espiga. Com isso, é possível afirmar que 9% do milho plantado entrará em fase de maturação por volta do dia 20 deste mês.

A colheita do milho deve ser iniciada na 1ª quinzena de junho deste ano.

 09:17

Atraso do plantio reduz produção do milho safrinha de MS em 1 tonelada

 

Chuvas constantes e redução de área plantada reduz projeção de produção de milho em MS. (Foto: Famasul)

Devido as chuvas que atrasaram a colheita da soja e consequentemente o plantio do milho, houve redução de área plantada, diminuindo a projeção da produção do grãos para 8,5 milhões de toneladas, 10% menor do que a estimativa inicial de 9,5 milhões, anunciada pela Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul).

 

Com base em dados levantados em campo pelos técnicos do Siga/MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), a produtividade média era de 88,3 sacas por hectare, passando para 82 sacas por hectare. 

Segundo o presidente da Aprosoja/MS, Christiano Bortolotto, a redução na estimativa se deve às condições climáticas registradas do plantio até este momento.

“Esse é um reflexo do excesso de chuvas na colheita de soja, o que impactou o plantio do milho. Agora, conforme os últimos levantamentos, além do atraso no plantio desse grão, tivemos áreas que nem sequer foram plantadas e algumas que, logo após plantadas, sofreram inundações”, afirma.

Segundo Bortolotto, nos últimos 30 dias, a ocorrência de chuvas isoladas causaram ausência de precipitações em várias áreas, comprometendo assim a produtividade do milho.

“A 2ª safra do ciclo passado 2014/2015, foi excepcional, perfeita em relação ao clima, o que gerou excelente resultado de produção. No entanto, essa 2ª safra 2015/2016 não está com condições climáticas tão favoráveis para esse período do ano. Agora, esperamos que as chuvas voltem para diminuir esse impacto negativo”, alega.

Conforme a Aprosoja, 59 mil hectares de milho safrinha não foram plantados e 1,740 milhão de hectares foram consolidados. (Foto: Famasul)Conforme a Aprosoja, 59 mil hectares de milho safrinha não foram plantados e 1,740 milhão de hectares foram consolidados. (Foto: Famasul)

Redução de área – Segundo a Aprosoja, 59 mil hectares de milho safrinha não foram plantados. Até a semana passada havia projeção de plantio em área de 1,799 milhão de hectares, entretanto, esse número não se confirmou, consolidando-se área plantada de 1,740 milhão de hectares, o que resultou em acréscimo de apenas 0,6% na área total.

Apesar dessa ampliação na área plantada, a projeção é que, no comparativo com o ciclo anterior, haja redução de 7,13% na produtividade, o que leva a uma queda de 6,6% na produção total de milho nesta 2ª safra em Mato Grosso do Sul.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

DA HORA
Diversos

Moradores de Goiás vem para festa de rodeio em MS e morrem na rodovia

Um dos rapazes escapou do acidente ao ficar em Rio Verde de Mato Grosso

Homem, 23 anos, e o passageiro, de 33 anos, morreram na manhã de ontem (8). Eles sofreram um grave acidente na BR-364, no município de Caçu (GO). De acordo com o G1/ TV Anhanguera, os jovens estavam em festa de rodeio realizada em Rio Verde de Mato Grosso (MS), na noite anterior.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), testemunhas informaram que os quatro rapazes, todos moradores de Caçu, foram até Rio Verde de Mato Grosso para show sertanejo na noite de sábado (7). Na manhã de ontem (8), o grupo resolveu voltar, mas um dos rapazes desistiu da viagem, alegando cansaço.

Os outros três seguiram viagem para a cidade na divisa com Mato Grosso do Sul. Quando transitavam pelo km 98, próximo a Caçu, o condutor perdeu o controle do automóvel e se chocou contra uma árvore.

O motorista e o passageiro foram socorridos, mas não resistiram aos ferimentos. O outro rapaz, que estava sentado no banco traseiro, está em estado grave no hospital da cidade de Goiás. Dentro do veículo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou uma garrafa de uísque.

Ex-deputado federal e esposa são 
detidos em operação da PF

O empreiteiro João Amorim e sua secretária também foram presos

 

 segunda fase da Operação Lama Asfáltica, desencadeada hoje (10), cumpriu mandado de prisão temporária contra o ex-deputado federal Edson Giroto e sua esposa, Rachel. Os dois foram levados para a sede da Polícia Federal, em Campo Grande, pouco depois das 6h.

O casal estava em casa, na Capital, que fica no condomínio de alto padrão Dahma. Esta não é a primeira vez que Giroto é levado detido na Lama Asfáltica.

O advogado do também ex-secretário de Estado de Obras, Jail Azambuja, informou que iria para a Justiça Federal ainda nesta manhã. "Vou pedir a revogação porque não tivemos acesso à decisão (que determinou a prisão temporária), que não acompanhou os mandados", alegou o defensor de Giroto.

Jail foi à sede da PF em Campo Grande, que nesta manhã tem grande movimentação de advogados por conta da operação.

Benedicto Figueiredo, advogado de João Alberto Krampe Amorim dos Santos e da secretária dele, Elza Cristina Araújo dos Santos, também foi à PF. Ambos foram levados por força de mandado de prisão temporária. "Não tive acesso à decisão e os dois estão presos temporariamente. Vou pedir na Justiça Federal para ter acesso às acusações."

DESDE CEDO

Os agentes foram cumprir hoje 15 mandados de prisão temporária, 28 de busca e apreensão e 24 de sequestro de bens. A operação aconteceu em Campo Grande, Rio Negro, Curitiba e Maringa (ambas no Paraná) e Presidente Prudente e Tanabi (São Paulo).

Os policiais também foram ao apartamento do ex-governador André Pucinelli (PMDB) para cumprir busca e apreensão.

Os detalhes desta segunda fase da Lama Asfáltica serão divulgados depois das 10h, informou a Polícia Federal, por meio de nota. Para essa ação, foram destacados 201 policiais federais, 25 servidores da Controladoria Geral da União (CGU) e 44 fiscais da Receita Federal.

INVESTIGAÇÃO

Divulgados nomes de presos na segunda fase da Operação Lama Asfáltica

Ação da Polícia Federal teve como foco o crime de lavagem de dinheiro


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

AZAMBUJA
Diversos

"Lugar de corrupto é na cadeia", diz governador sobre Lama Asfáltica

Operação da Polícia Federal cumpriu 15 mandados de prisão

Lugar de corrupto é na cadeia”, disse o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), quando questionado sobre o desdobramento da Operação Lama Asfáltica, deflagrado nesta terça-feira (10). A ação, batizada de Fazendas de Lama, cumpriu mandados de busca e apreensão em uma série de locais, incluindo a casa do ex-governador André Puccinelli (PMDB) e a Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura).

 

Para Reinaldo, o Brasil está sendo passado a limpo e, em Mato Grosso do Sul, a situação “não seria diferente”. “Não quero fazer julgamento de ninguém, mas aquele que cometeu desvios de recursos públicos tem de pagar e devolver ao erário. Lugar de corrupto é na cadeia”.

Ao todo, 15 pessoas foram presas, algumas delas: ex-deputado federal Edson Giroto, sua esposa, o empresário João Amorim e sua sócia, Elza Cristina Araújo. A Polícia Federal divulga agora informações e dados completos sobre a operação.

Em sua resposta, Reinaldo ainda ressaltou que é preciso fortalecer as instituições de fiscalização, como MPE e MPF (Ministério Público Estadual e Federal), Justiça Estadual e Federal. “O Brasil precisa respirar um novo momento. Quem usa recursos públicos vai pagar com a prisão para não acontecer no futuro. Investigado não quer dizer que é culpado, mas se for tem de pagar pelos erros”, concluiu.

Na Seinfra, segundo o governador, os policiais federais buscaram documentos referentes a 2007 e 2008, os dois primeiros anos do mandato de Puccinelli.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

POLICIA FEDERAL NO MS
Diversos

Operação bloqueou R$ 43 milhões desviados na gestão de Puccinelli

 
Dois aviões de Baird e Amorim e documentos de André

A segunda fase da operação Lama Asfáltica, denominada Fazendas de Lama, bloqueou pouco mais de R$ 43 milhões em bens de 24 pessoas, apreendeu dois aviões, um do empreiteiro João Amorim e outro do empresário João Baird, e encontrou na casa dos acusados US$ 10 mil em espécie e um montante em real que ainda está sendo contabilizado pelos agentes da Polícia Federal.

A ação, que envolveu 201 policiais federais, 28 da Controladoria Geral da União e 44 da Receita Federal cumpriu  28 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão temporária, bem como 24 mandados de sequestro de bens dos investigados, dentre eles imóveis rurais e urbanos e contas bancárias.

De acordo com o superintende da PF, Ricardo Cubas, do montante de R$ 195 milhões em obras da gestão Puccinelli, na 1ª fase da operação foram identificados desvios de R$ 11 milhões e nesta 2ª fase, mais R$ 33 milhões que teria sido desviados, um total de R$ 44 milhões. Segundo a Polícia, pelo menos 23% de cada empreendimento era desviado pelo grupo, classificado de organização criminosa pela Polícia.

O delegado ainda contou que foram apreendidos livros didáticos durante as buscas, que comprovam que apenas entre os anos de 2012 e 2014, foram desviados R$ 13 milhões de obras da gestão Puccinelli que perfazem um total de R$ 29 milhões, ou seja, 44% do investido foi desviado.

Cubas contou que todo material apreendido na casa do ex-governador ainda vai passar por análise, para apontar o ‘possível’ envolvimento de André no esquema de desvios de recursos públicos.

As prisões de Edson Giroto e sua esposa, Rachel Giroto, e do empresário João Amorim, são temporárias, com prazo máximo de 5 dias, porém o delegado Cubas pontuou que dependendo do resultado do prosseguimento da investigação, a PF pode solicitar a conversão da detenção em prisão preventiva, sem prazo para soltura dos investigados.

Fazendas de Lama

A nova fase da Operação Lama Asfáltica ganhou o nome de Fazendas de Lama porque, segundo a PF e a Receita Federal, os envolvidos lavavam o dinheiro desviados das obras e contratos com o governo, comprando propriedades rurais e gado.

Apenas em Mato Grosso do Sul foram detectados 66 mil hectares em fazendas que teriam sido compradas pelo grupo, nos municípios de Rio Negro, Corumbá, Aquidauana, Anastácio, Jaraguari e Figueirão, além de propriedades em cidades no interior paulista.

Segundo o delegado da Receita Federal, Flávio de Barros Cunha, o grupo usava familiares como laranjas. Eles abriam empresas e faziam a distribuição de lucros. Por exemplo, uma empresa que declarou faturamento de R$ 1,7 milhão em um ano, distribuiu lucros de R$ 1,2 milhão aos sócios.

A declaração do imposto de renda dos envolvidos também serviu para a polícia detectar irregularidades.

“Distribuindo valor desproporcional de lucro. Nenhum tipo de atividade econômica distribui esse lucro a seus sócios”, disse Cunha. Essa era uma das formas usadas pelos acusados de lavar dinheiro desviado de obras de pavimentação, recuperação asfáltica e em serviços gráficos.

As irregularidades, pontuaram os delegados, começavam desde a licitação. Sob comando de André Puccinelli e Edson Giroto, a secretária de obras do Estado incluía clausulas injustificadas nas licitações, impedindo que outras empresas que ganhassem o certame para tocar as obras.

Outros quatro contratos da gestão Puccinelli para manutenção de estradas pavimentadas e não pavimentadas no município de Campo Grande, e dois lotes da pavimentação da MS-140 entre a Capital e Santa Rita do Pardo, também estão no alvo das investigações, com suspeita de fraudes.

Confira a lista dos nomes presos nesta fase da operação Lama Asfáltica:

Edson Giroto, André Luis Cance, João Amorim, Flavio Henrique Garcia, Ana Paula Amorim Dolzan, Ana Lúcia Amorim, Renata Amorim Agnoletto, Rachel Giroto, Wilson Roberto Mariano de Oliveira, Mariane Mariano de Oliveira, Ana Cristina Pereira da Silva, Maria Casanova, Helio Yudi Komiama, Evaldo Furrer Matos e Elza Cristina Araujo. 

10/05/2016 08:14

PF fica uma hora e meia na casa de Puccinelli e sai carregando mochila

Ação faz parte da segunda fase da Operação Lama Asfáltica

Mayara Bueno e Guilherme Henri
PF saiu da casa de Puccinelli agora pouco. (Foto: Marcos Ermínio)PF saiu da casa de Puccinelli agora pouco. (Foto: Marcos Ermínio)
Policiais federais fizeram busca e apreensão do apartamento de Puccinelli. (Foto: Marcos Ermínio)Policiais federais fizeram busca e apreensão do apartamento de Puccinelli. (Foto: Marcos Ermínio)

Policiais federais fizeram, na manhã desta terça-feira (10), busca e apreensão no apartamento do ex-governador do Estado, André Puccinelli (PMDB). A ação trata-se da segunda fase da Operação Lama Asfáltica, que, por sua vez, apura desvios de recursos em obras no Estado.

Veja Mais
Na 2ª fase de operação, PF fecha secretaria no Parque dos Poderes
PF deflagra 2ª fase da operação Lama Asfáltica e vai à casa de ex-governador

A operação, que começou pouco antes da 6h30, terminou agora pouco. Três policiais federais e um delegado saíram por volta das 7h50 sem falar com a imprensa, carregando apenas uma mochila preta. Não se sabe qual o conteúdo. 

Esta segunda fase foi batizada “Fazendas de Lama”, referente à aquisição de propriedades rurais com recursos públicos desviados de contratos de obras públicas, fraudes em licitações e recebimento de propinas, resultando também em crimes de lavagem de dinheiro. A primeira etapa foi realizada em nove de julho.

Ao todo são 15 mandados de prisão temporária, mas a Polícia Federal não divulgou os nomes. Há a informação de que também houve buscas e apreensão na casa do empresário João Amorim e de sua secretária Elsa Cristina Araújo. Serão, ainda, 28 mandados de busca e apreensão, além de 24 mandados de sequestro de bens de investigados. Os mandados são cumpridos em Campo Grande, Rio Negro, Curitiba (PR), Maringá (PR) Presidente Prudente (SP) e Tanabi (SP).

Puccinelli admite que carrega ‘pecha de ladrão’ e quer largar política

“Vão revistar até a cueca” disse ex-governador

Alvo do nova fase ‘Fazendas de Lama’, nova etapa da Operação Lama Asfáltica, o ex-governador André Puccinelli (PMDB) voltou a afirmar, na sede da PF, que não cometeu irregularidades em seu governo, mas admitiu que carrega uma fama nada agradável.

“Hoje em dia não compensa ser agente, você não rouba e fica com pecha de ladrão, o povo não te respeita mais. Um doido adversário acha que pode te xingar, você na rua com filho, filha com o neto”, disparou o peemedebista.

Puccinelli também disse que não será mais candidato a cargo político. “Não tenho foro privilegiado. Vão vistoriar até a cueca”, frisou André. Segundo ele, todas as informações referentes às suas contas pessoas foram entregues ao Ministério Público entre os anos que comandou Mato Grosso do Sul (2007 a 2014).

O ex-governador afirmou ainda que não sabia o motivo que levou à ação de busca e apreensão de documentos em seu apartamento, na manhã desta terça-feira (10).  Homens da Polícia Federal e da Receita Federal passaram duas horas em sua casa e sairam com malotes do local.

Primeiro, a Polícia passou duas horas no apartamento de Puccinelli e saiu de lá com um malote. Trinta minutos depois, sete homens da Receita Federal deixaram o local com outro malote.

 O ex-governador insiste que já teve as contas vistoriadas por mais de “oito mil vezes” pelas investigações, assim como as declarações de bens. Ele afirma que está no local “buscando informações”. Logo após Puccinelli entrar no prédio, chegaram mais policiais federais com diversos malotes.

Operação

A Polícia deflagrou a segunda fase da Operação Lama Asfáltica – Fazendas de Lama, em conjunto com a Controladoria Geral da União e Receita investigam mais de R$ 2 bilhões em contratos do governo com empresários.

Com um efetivo de 201 policiais federais, 28 da Controladoria Geral da União e 44 da Receita Federal estão sendo cumpridos 28 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão temporária, bem como 24 mandados de sequestro de bens de investigados. As medidas estão sendo cumpridas nos municípios de Campo Grande/MS, Rio Negro/MS, Curitiba/PR, Maringá/PR, Presidente Prudente/SP e Tanabi/SP.

As investigações s em referência a procedimentos utilizados pelos investigados na aquisição de propriedades rurais com recursos públicos desviados de contratos de obras públicas, fraudes em licitações e recebimento de propinas, resultando também em crimes de lavagem de dinheiro.

Vídeo

 
 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)


Página selecionada de 1480 páginas.
 Calendario de Eventos
Julho 2016
  1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31  

Eventos

 Hora Certa

 Amigos do Site!

Image and video hosting by TinyPic




RondPoint Web Services Web site powered by MEGAWEB