Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/correiod/public_html/index.php:1) in /home/correiod/public_html/mainfile.php on line 168
=:Correio da Fronteira:=

 Menu
 Inicio
 Registro
 Administrador
 Menu
 Torpedos
 Downloads
 Enquete
 Galeria de Fotos
 Seus Links
 Recomende-nos
 Internet_TV
 Artigos
 Internet_Radio3
 Publicações
 Conteudos
 Album
 Estatística
 Fale Conosco

· Procurar

 Radio On
Ouça Agora:
Nenhuma opção foi escolhida



<a href=''>Play Nenhuma opção foi escolhida</a>

Abrir em janela pop-up

 Previsão

 Visitas
Até o momento, recebemos
9608653
vizualizações de páginas (page views) desde July 2007

 Apoios:




CAFE DA MANHÃ
Economia 06h21

Aprovadas regras para criação e fusão de municípios

Por 57 votos a 9, o Plenário aprovou, nesta quarta-feira (15), o Projeto de Lei do Senado (PLS)199/2015 – Complementar, que regula a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios. O projeto irá a exame da Câmara e, se aprovado pelos deputados, será encaminhado à sanção presidencial.

Outros dois projetos similares foram vetados anteriormente pela presidente Dilma Rousseff, por considerar a iniciativa prejudicial ao Erário. No entanto, o autor da proposta, senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), disse que o projeto estabelece critérios rígidos para a criação de municípios, e atende os interesses de muitos distritos que reivindicam emancipação.

 

Senadores favoráveis ao projeto alegaram que a proposta não libera, mas apenas organiza a criação de novos municípios, visto que a realidade do Sul e Sudeste é diferente da de outras regiões, que muitas vezes concentram distritos localizados a centenas de quilômetros da sede dos municípios, sem a oferta de qualquer serviço público. Esse foi o argumento do relator, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), dos senadores Blairo Maggi (PR-MT) e João Alberto Souza (PMDB-MA) e das senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Lídice da Mata (PSB-BA). Contrários à proposta, os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), João Capiberibe (PSB-AP) e Reguffe (PDT-DF) alegaram que o projeto é inadequado diante da atual situação financeira do país.

Critérios

O PLS 199/2015 — Complementar resgata quase todo o conteúdo do PLS 104/2014, de autoria do ex-senador Mozarildo Cavalcanti, vetado por Dilma em agosto de 2014. O projeto de Flexa Ribeiro reúne critérios de viabilidade; exigências de população mínima; e regras para a apresentação de proposta de fusão ou desmembramento de municípios às assembleias estaduais e de realização de plebiscito para consulta à população interessada.

O ponto de partida para a criação de novos municípios, de acordo com o texto, será a apresentação de requerimento à assembleia legislativa estadual, apoiado por 20% do eleitorado da área alvo de emancipação ou desmembramento ou 3% dos eleitores de cada um dos municípios com pretensões de fusão ou incorporação. Também terão de ser feitos estudos de viabilidade municipal.

A criação de novos municípios também depende do alcance de um contingente populacional mínimo. Assim, depois de fundido ou dividido, sua população deverá ser igual ou superior a 6 mil habitantes nas Regiões Norte e Centro-Oeste; 12 mil na Região Nordeste; e 20 mil nas Regiões Sul e Sudeste.

A área urbana também não poderá estar em reservas indígenas, área de preservação ambiental ou terreno pertencente à União. Outro critério a ser observado é a existência de um número mínimo de imóveis, que precisa ser superior à média dos municípios que correspondam aos 10% de menor população no estado.

 

BOA FORMA

Com um maiô bem colado no corpo, Fernanda Lacerda mostrou o corpo sarado em ensaio. A Mendigata posou sexy e mostrou intimidade com as câmeras na sessão de fotos.


Fernanda está solteira há um tempinho e conta que faz tempo que não dorme com ninguém, mas ela não se incomoda de não ter companhia nem nas noites mais frias do inverno em São Paulo. “Na verdade, eu gosto de dormir sozinha, sem ninguém me incomodando (risos)”, conta.


Apesar disso, a Mendigata diz que se amasse algo seria bom dividir a cama: “Claro, que se eu realmente tivesse um sentimento por alguém seria diferente. Mas eu já estou acostumada, pois faz tempo que não tenho companhia de ninguém na hora de dormir”, afirma.

 
 
NENHUM ACERTADOR DA MEGA SENA
Nenhuma aposta acertou as 6 dezenas do sorteio do concurso 1.723 da Mega-Sena, realizado na quarta-feira (15) em Osasco (SP). A estimativa de prêmio para o próximo concurso é de R$ 11 milhões.

Veja as dezenas sorteadas: 14 - 27 -30 - 46 - 52 - 60.

A quina saiu para 54 apostas e cada uma delas levará um prêmio de R$ 38.128,57. Outros 3.169 bilhetes acertaram a quadra e ficarão com R$ 928,16 cada.
 
 
 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

ONDE ESTÁ O DINHEIRO ?
Diversos
Assembleia pode fazer devassa para apurar desvio de dinheiro por ONG
Divulgação
Ampliar
Mara conversa com Zé Teixeira
Willams Araújo

A Assembleia Legislativa está sendo pressionada a criar uma frente parlamentar para investigar denúncias segundo as quais o CIMI (Conselho Indigenista Missionário), além de incitar invasões de terras produtivas no Estado, estaria desviando dinheiro que deveria beneficiar as aldeias em Mato Grosso do Sul.

A ideia partiu da deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB), que foi à FM Capital  nesta quarta-feira dizer que as denúncias podem ser comprovadas por meio de documentos em mãos de produtores rurais e dos próprios representantes da comunidade indígena.

Segundo ela, a ONG (Organização Não Governamental) tem orquestrado o confronto armado, colocando em risco a vida de índios e brancos. A maior preocupação da parlamentar é que ocorram conseqüências mais graves a partir de novos conflitos no campo, vindo a registrar  inclusive mortes de índios e fazendeiros por conta da luta armada por ocupação de terras.

Mara prometeu ainda solicitar à Câmara dos Deputados, por meio da bancada federal, que investigue denúncias de que funcionários da Funai (Fundação Nacional do Índio) estariam incitando invasões de terras em Mato Grosso do Sul e o confronto armado com os fazendeiros.

A deputada, que na terça-feira participou de reunião no Ministério da Justiça para discutir o conflito agrário no Estado, garantiu ter conversado sobre o assunto com os deputados federais Dagoberto Nogueira (PDT), Tereza Cristina (PSB), Luiz Henrique Mandetta (DEM), Carlos Marun (PMDB) e Geraldo Resende (PMDB) para que a Câmara apure as denúncias envolvendo a Funai no Estado.

Ainda durante a entrevista na Capital, a deputada também fez um relato da reunião ocorrida em Brasília com a bancada federal, produtores rurais e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Alguns encaminhamentos importantes, segundo ela,  foram feitos, entre os quais, a garantia de que a Funai entrará em campo para garantir a colheita e a retirada de insumos das propriedades invadidas.

O ministro também vai convocar ainda essa semana o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, o MPF (Ministério Público Federal) e a Funai para discutir sobre as reintegrações de posse.

Um grupo técnico, encabeçado pela senadora Simone Tebet (PMDB), será formado para discutir a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 71/2011, que prevê indenização pelas terras e benfeitorias para fazendeiros que possuem áreas declaradas indígenas.

Também haverá retomada imediata da mesa de negociações envolvendo Ministério da Justiça e bancada federal do Estado, onde três áreas de conflito serão escolhidas para o início das negociações.

ISENÇÃO DE IMPOSTOS

A situação está tão complicada, principalmente na região sul do Estado, que o deputado estadual Zé Teixeira (DEM), líder da bancada ruralista na Assembleia, defende o fim do recolhimento de impostos de propriedades rurais que estiverem sob invasão de índios, sem-terra ou descendentes de quilombolas em todo Mato Grosso do Sul.

“Não é justo que o produtor tenha sua terra esbulhada, sua lavoura destruída, seu gado furtado, seu patrimônio usurpado e ainda seja obrigado a pagar impostos”, disse o democrata em recente entrevista ao jornal O Progresso.

A ideia é que o governo estadual fique impedido por lei de recolher ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e o Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul) em caso de invasões. 
 
06h27

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 1.723, desta quarta

A Caixa Econômica Federal (CEF) sorteou na noite desta quarta-feira (15) as dezenas do concurso 1.723 da Mega-Sena. O sorteio pode pagar o prêmio de R$ 7.002.382,06  para quem acertar as seis dezenas.

Veja as dezenas sorteadas: 14 - 27 -30 - 46 - 52 - 60.

Advogada entrega pertences a detento e fica presa por desacato
 
Arquivo Pessoal
Ampliar
Aline Gabriela disse que foi presa quando questionou as regras de segurança
A advogada Aline Gabriela Brandão, de 23 anos, foi presa na terça-feira (14) após um desentendimento com o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga, Camilo Kettenhuber Cavalheiro. A jovem foi liberada na manhã de quarta-feira (15), informa o G1.

Conforme o histórico da ocorrência, a advogada compareceu ao local na noite de terça-feira. Ela disse que entregaria os pertences a um preso, autuado em flagrante por roubo um dia antes. Na ocasião, o policial teria informado que receberia apenas materiais de higiene, já que a cela estava cheia.

Diante da informação, a advogada teria alterado o tom de voz para questionar as regras de segurança do local. Neste momento, o delegado estaria ouvindo um policial militar como testemunha de outra ocorrência. Cavalheiro interrompeu o depoimento para falar com a advogada e ela teria novamente questionado as normas do local.

“Tudo o que está descrito neste boletim de ocorrência é a mais absoluta verdade. Eu parei o relato da testemunha para atendê-la e apenas disse que seguiriam as normas do policial responsável por receber os pertences dos presos, porém ela saiu da sala gritando e fazendo ameaças. A delegacia estava lotada, foi constrangedor”, afirmou o delegado ao G1.

No entanto, conforme Aline, ela disse que não teve acesso à autoridade policial. “Eu não desacatei ninguém, até porque o meu pai é delegado e eu respeito muito a profissão. Acredito que por conta de uma representação pessoal contra o delegado, pelo crime de tortura ocorrido há cerca de um mês, é que eu passei por isso”, comentou.

Desacato

Por causa das possíveis ameaças, o delegado ressaltou que interveio na situação e deu voz de prisão a advogada por desacato. Ela teria então recebido a ordem para comparecer a sala dos escrivães, mas teria se negado. O policial então teria a segurado pelos braços.

“Eles deixaram aparecer as minhas partes íntimas. Minha bolsa ficou com uma das minhas clientes e eu disse que não poderia ficar ali. Por ser advogada, deveria ter uma cela especial, mas me transferiram para outra unidade policial e eu passei a noite em outra cela, sentada em uma cadeira. Fiquei sem comida e tinha apenas um copo de água para beber”, contou a advogada.

Logo depois, de acordo com o registro policial, o advogado Marco Antônio Ferreira Castello, presidente da comissão de defesa destes profissionais, disse que foi comunicado da prisão e iria acompanhar os procedimentos. Em seguida, a mãe da advogada também teria chegado ao local e mais uma vez a jovem desobedeceu a ordem e saiu da sala dos escrivães.

“Até o representante da OAB [Ordem dos Advogados] presenciou o abuso de autoridade. Não está correto o próprio delegado que fez um flagrante conduzir um inquérito policial. Ele ainda arbitrou uma fiança de R$ 15 mil, que é um valor que nem ele recebe por mês. Fui muito desrespeitada como mulher e profissional”, lamentou a jovem.

Representação

O delegado disse que uma representação contra ele em data anterior existe, mas é “totalmente descabida”. “A advogada está se apegando a este acontecimento para justificar a atitude que ela teve e ninguém entendeu direito até agora. Ao contrário, acredito que é ela que tem um problema pessoal comigo, pois eu nem conhecia esta jovem”, garantiu o delegado.

Sobre o valor da fiança, o delegado disse que houve um equívoco por parte dele. “Em um primeiro momento seria arbitrada a fiança, mas a soma das penas dos crimes ultrapassava quatro anos e então eu comuniquei o outro advogado sobre o fato de ser um crime inafiançável. Eu agi com isenção, imparcialidade e profissionalismo, tanto que uma advogada estava no local e ficou indignada, sendo testemunha do flagrante”, finalizou o delegado.

A investigação será conduzida pela 5ª Delegacia de Polícia. O caso foi registrado como desacato, desobediência e resistência.
 
 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

FIQUE SABENDO
Diversos 15h34

Candidata que teve 60% do corpo queimado quer ser mais sexy do Brasil 'Hoje quando me olho no espelho me sinto vitoriosa', diz Jennifer de Paula, de 22 anos, que gosta de ser chamada de Jenii Fer Beck.

Jenifer Beck (Foto: Binno Frann / Divulgação)Jenifer Beck (Foto: Binno Frann / Divulgação)

Jennifer de Paula, ou Jenii Fer Beck, como gosta de ser chamada, é carioca, tem 22 anos e pretende ser eleita a mulher mais sexy do Brasil em um concurso da revista "Sexy". Participar de um concurso de beleza tem um sabor especial para ela, que teve 60% do corpo queimado em um acidente na infância - ela tinha 5 anos quando o irmão ateou fogo em um formigueiro e as chamas acabaram atingindo Jeni.

"Sofri muito e por muitos anos. Além das dores e o tratamento de raspagem, que para uma criança já é traumático, sofria bullying na escola por conta das marcas. Preconceito sempre existiu, mesmo que disfarçado", relembra ela. "Hoje quando me olho no espelho me sinto vitoriosa. E de certa forma esse acidente ajudou para que eu tivesse meus objetivos bem firmes", diz ela, que ainda tem algumas cicatrizes discretas. A maioria, porém, foi coberta com a tatuagem que Jenii exibe na coxa e na cintura. "As pessoas não notam de cara, só quando mostro de perto", conta ela.

O concurso Garota Mais Sexy está em sua fase seletiva, com as inscrições abertas no site do concurso. A votação online começa em setembro e a final será em dezembro.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

11 TONELADAS DE DROGAS INCENERADAS EM AMAMBAI
Diversos

Polícia Civil incinerou mais de 11 toneladas de drogas em Amambai

Durante o ato de incineração, que contou com apoio do Exército Brasileiro foram destruídos maconha, cocaína, pasta base de cocaína e haxixe

Momentos da incineração. As mais de 11,4 toneladas de drogas destruídas durante a operação são frutos de apreensões realizadas nos últimos 60 dias na região de Amambai. (Fotos: Vilson Nascimento)

A Polícia Civil incinerou na manhã dessa quarta-feira, 15 de julho, 11.415 (onze mil e quatrocentos e quinze) quilos de maconha, em Amambai.

Juntamente com a maconha também foram destruídos mais de um quilo de cocaína, pasta base de cocaína e haxixe.

Toda a droga, que foi incinerada na caldeira de uma cooperativa instalada no município, é fruto de apreensões realizadas pela própria Polícia Civil, pela Polícia Militar, a Polícia Militar Rodoviária Estadual (PRE) e pelo Departamento de Operações de Fronteira (DOF), nos últimos dois meses na região de Amambai.

A queima do entorpecente, que foi coordenada pelo delegado titular de Polícia Civil em Amambai, Dr. Mikaill Gouveia Faria, também foi acompanhada pelo promotor de justiça da 2ª Promotoria da comarca de Amambai, Dr. Luiz Eduardo Sant´Anna Pinheiro e pelo médico veterinário Ednor Bampi, do setor de vigilância sanitária do município, em Amambai.

Quatro caminhões do Exército Brasileiro foram utilizados para o transporte do entorpecente da Delegacia de Polícia Civil de Amambai, onde estava armazenada após a apreensão, até o local de destruição.

Militares do Exército lotados no 17º Regimento de Cavalaria Mecanizada (17º RC Mec), com sede em Amambai, garantiram a segurança durante o transporte e a destruição do entorpecente.fonte vilson nascimento

21h02

Governador promete 'devassa' em contratos de empreiteiras com a Agesul Na próxima semana Azambuja se pronunciará oficialmente sobre Operação Lama Asfáltica

Na próxima semana Azambuja se pronunciará oficialmente sobre Operação Lama AsfálticaNa próxima semana Azambuja se pronunciará oficialmente sobre Operação Lama Asfáltica
 

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), prometeu realizar devassa nos contratos da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) para detectar empresas que possivelmente são alvo da Operação Lama Asfáltica, feita pela Polícia Federal em parceria com a CGU (Controladoria-Geral da União).

A investigação veio a público na semana passada, depois que a PF cumpriu 19 mandados de busca e apreensão, sendo um deles na casa do empreiteiro João Amorim, proprietário da Proteco Construção Ltda. A companhia é responsável pela polêmica obra do Aquário do Pantanal.

O tucano garantiu que teve acesso aos contratos que a PF apreendeu, bem como ao conteúdo da apuração, mas só emitirá posicionamento oficial do Executivo na semana que vem. Entretanto, adiantou que se ficar comprovado dano ao erário público, os responsáveis terão que arcar com as consequências, inclusive com ressarcimento. Ele ainda deixou subentendido que nenhuma das investigadas continuará recebendo pagamento até que a investigação termine.

“O Governo tem que ser prudente e se houve desvio de recursos públicos e essas empresas que tem a receber que aguardem o final do julgamento”, disse reforçando que na próxima segunda ou terça-feira o raios-X feito pelo governo nos contratos será divulgado. “Esse ato será uma forma de o governo se manifestar sobre a investigação”, completou.

Azambuja voltou afirmar que somente agora está tendo acesso à apuração e defendeu que a investigação seja o mais aprofundada possível, uma vez que o maior prejudicado é o Estado e o dinheiro público. “Vamos também franquear a Polícia Federal em qualquer documentação e acesso ao que ainda não tem. Para que haja apuração efetiva e ressarcimento do prejuízo aos cofres do Estado”, finalizou.

Lama Asfáltica - A operação visa obter detalhes de contratos referente a obras, principalmente de João Amorim com o Governo do Estado e Prefeitura de Campo Grande, firmados principalmente nas gestões dos peemedebistas André Puccinelli e Nelson Trad Filho. O empreiteiro é, inclusive, ex-cunhado de Nelsinho que concedeu os contratos justamente enquanto era casado com a deputada estadual Antonieta Amorim (PMDB).

Temer diz que Lava Jato abala “tranquilidade institucional” do país

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse hoje (15), ao comentar as ações da PF (Polícia Federal) durante a Operação Lava Jato, que é preciso buscar a “tranquilidade institucional” no país.

Para Michel Temer, o país não deve se "impressionar" com esses atos Foto José Cruz/Arquivo/Agência Brasil
Para Michel Temer, o país não deve se impressionarcom esses atos Foto José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

Temer evitou avaliar as ações de busca e apreensão em casas e empresas de políticos ocorridas ontem (14), mas as avaliou como “assunto extremamente delicado”.

“Evidentemente temos de buscar no país uma certa tranquilidade institucional. Essas coisas estão, digamos assim, abalando um pouco a natural tranquilidade que sempre permeou a atividade do povo brasileiro”, informou o vice-presidente.

Segundo ele, o país não deve se “impressionar” com esses atos. “Não temos de nos impressionar com esse atos. Temos de levar adiante a ideia de uma grande pacificação nacional.”

Sobre a possibilidade de a Operação Lava Jato estar desestabilizando o país, Michel Temer respondeu que não. Entretanto, afirmou que há “um clima de certa discordância que não é útil para o país”.

Temer e lideranças do PMDB participaram hoje do lançamento da plataforma digital na internet da Fundação Ulysses Guimarães, que busca aprimorar a atuação do partido nas redes sociais e aproximá-lo dos eleitores.

Na etapa de ontem da Lava Jato foram cumpridos mandados de busca e apreensão em casas, escritórios e empresas de políticos, entre eles os senadores Fernando Collor (PTB-AL), Ciro Nogueira (PP-PI) e Fernando Bezerra (PSB-PE), o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e o ex-ministro Mário Negromonte.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

PARANAÍBA
Diversos

Frigorífico Marfrig fecha as portas e demite 530 funcionários em Paranaíba

O Frigorífico Marfrig comunicou aos representantes do Sindicato que devido a necessidades mercadológicas, necessitará suspender suas atividades operacionais na unidade de Paranaíba, para abate e desossa a partir de 20.07.2015 e que devido a isto vem primeiramente a presença desta Entidade para informar e tratar dos termos dos desligamentos; de 530 funcionários.

Unidade demitirá 545 funcionários  (Foto: Divulgação)
Unidade demitirá 545 funcionários
(Foto: Divulgação)

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Frigoríficos, Lucio de Souza Rezende, durante reunião realizada ontem (14), a Marfrig afirmou que preferiu demitir do que dar férias coletivas. “São 530 funcionários que receberão todos os direitos e a folha de pagamento chega a R$ 1 milhão”, comenta.

A Marfrig afirma que “atuará de acordo com a legislação durante o processo de desligamento de seus colaboradores, cumprindo todos os seus deveres” e que “avaliará a retomada das atividades tão logo as condições mercadológicas sejam restabelecidas”.

O frigorífico Marfrig é um dos principais empregadores em Paranaíba e esse fechamento representa um grande impacto na economia municipal.

Cerca de 26 frigoríficos que fecharam ou deram férias coletivas no Brasil, 14 são de Mato Grosso do Sul, que tem o quinto maior rebanho, com 20,8 milhões de bovinos. O número pode ser ainda maior, já que as empresas não repassam dados para a Abrafrigro (Associação Brasileira de Frigoríficos).


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

GIRO
Diversos
Polícia Militar Rodoviária apreende 600 kg de maconha em Ivinhema
 
Divulgação
Ampliar
O entorpecente apreendido pelos policiais
A polícia Militar Rodoviária apreendeu, na tarde desta terça-feira (14),  628 tabletes de maconha, na rodovia MS-276, no município de Ivinhema. A droga estava em um veículo importado com placa falsa de Campo Grande.

Ao avistar o bloqueio policial itinerante de rotina, o condutor que seguia com o veículo no sentido Ivinhema / Nova Andradina fugiu em alta velocidade. Alguns quilômetros à frente, o homem abandonou o carro e a droga e  adentrou no milharal às margens da rodovia.

Os policias realizaram buscas no local, mas não encontraram o acusado. Durante vistoria ao veículo, os policiais localizaram no porta-malas e  banco traseiro, 600 quilos de maconha, divididos em 628 tabletes. 

Droga e veículo foram apreendidos e encaminhados para Delegacia de Polícia Civil de Ivinhema, que irá investigar o caso.

Confusão com delegado faz advogada passar noite na cadeia

Polícia afirma que profissional foi ameaçado, já advogada fala em rixa pessoal

A advogada Aline Brandão, de 23 anos, foi presa por desacato na noite desta terça-feira (14), após confusão com o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), Camilo Kettenhuber Cavalheiro. De acordo com o registro policial, a advogada teria se referido ao policial como "delegadozinho". Já Aline classifica o caso com rixa pessoal, por ter representado contra Camilo.

 

Conforme o registro policial, a advogada chegou até a unidade e queria entregar alguns pertences ao seu cliente que estava detido no local por roubo majorado pelo concurso de pessoas.  Um policial, chefe de equipe do plantão, disse a mulher que somente iria receber o material de higiene pessoal, não permitindo a entrada de cobertores.

 

Ainda conforme o boletim de ocorrência, depois da informação passada pelo policial, a advogada teria levantado o tom de voz  e passou a questionar as regras de segurança da delegacia, solicitando conversar com o delegado plantonista do local.

 

O delegado que estava ouvindo uma testemunha, interrompeu as declarações e foi atender a advogada. A mulher teria chegado na sala de Camilo já questionando as normas de seguranças seguidas pelo plantão da delegacia. O delegado explicou para a advogada que as regras deveriam ser cumpridas. Neste momento, a mulher levantou o tom de voz  e disse ao delegado: "Eu já representei contra você na Corregedoria uma vez e represento duas, três, quatro ou quantas vezes precisar", tentando intimidar a autoridade.

 

Na versão da advogada, quem levantou o tom de voz foi o delegado. "Insisti em levar o cobertor, porque está muito frio a noite", afirmou. Aline já representou contra ele por tortura na DGPC (Departamento Geral da Polícia Civil). "Acredito que ele tenha levado pelo lado pessoal por conta disto", explica. Camilo teria gritado com a advogado pedindo que ela saísse da sala. Além disto, ela afirma ser filha de delegado, não tendo motivo para chamá-lo de "delegadozinho".

 

De acordo com Camilo, ao pedir para a advogada se retirar da sala dele, ela teria dito: "Você está pensando que é Deus, seu delegadozinho?" deixando o local.

 

O delegado interrompeu a saída da advogada e disse que ela estava presa por desacato e falou para ela ir até a sala dos escrivães, onde seria ouvida. A mulher então teria apontado o dedo para o delegado dizendo: "Não irei respeitar tal convite'' querendo ir embora do local. Os policiais não deixaram a advogada sair da delegacia e precisaram usar força para deter a mulher que segundo o boletim de ocorrência ficava se debatendo, falando que ninguém poderia prende-la.

 

Aline afirma que já estava na porta de saída da delegacia conversando com a cliente, quando recebeu a voz de prisão. Neste momento, o policial a teria puxado pelo braço e levantado seu vestindo, expondo suas partes íntimas.

 

A advogada chegou a acionar um membro da comissão da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil), já que o delegado queria colocá-la em uma cela, o que não é permitido para quem tem curso superior. Tal representante, também teria sido ameaçado pelo delegado. Mesmo sob ilegalidade Aline passou a noite na cela e só foi libera às 11h30 desta quarta-feira (15), após entrar com pedido de liberdade provisória.

 

O caso foi registrado como receptação na Depac do Bairro Piratininga e a advogada foi encaminhada para a 2ª Delegacia de Polícia Civil da Capital, mas de acordo com o delegado Alexandre Amaral Evangelista, ela já foi liberada.

 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

DA TARDE
Diversos
Ministro propõe 4 medidas para resolver conflitos por terra em MS
Divulgação
Ampliar
Reunião contou com a presença de parlamentares
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, apresentou ontem quatro medidas para resolver os conflitos pela posse de terra em Mato Grosso do Sul. As propostas foram feitas durante audiência, em Brasília, com parlamentares federais e estaduais, representantes dos produtores e o governador Reinaldo Azambuja.

As medidas anunciadas preveem reuniões emergenciais com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para discutir os processos de reintegração de posse. Os encontros deverão reunir parlamentares federais e estaduais, representantes dos produtores, da Funai e do Governo do Estado.

A segunda medida proposta pelo ministro prevê o atendimento de audiência em Brasília, solicitada pela Assembleia Legislativa, a fim de ouvir as reivindicações das comunidades indígenas. O argumento é que os índios também precisam ser ouvidos.

Cardozo anunciou também, como terceira medida, a retomada imediata da mesa de negociação com os proprietários de áreas invadidas, com a formação de comissão composta pelos proprietários, Funai, Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público e representantes dos índios a ser indicados pela Funai.

Como quarta ação, o ministro atendeu sugestão do senador Waldemir Moka (PMDB) e determinou que o presidente da Funai, João Pedro Gonçalves, visite o Estado para dialogar com as etnias envolvidas no conflito. O objetivo é suspender as invasões de forma negociada, permitir que os proprietários das áreas possam colher a produção e retirar insumos, como fertilizantes, calcário e maquinário.  

De acordo com Moka, que intermediou a reunião, os envolvidos na disputa pela posse de terra devem dar “voto de confiança” ao ministro. Segundo ele, Cardozo tem tratado com cuidado e interesse as questões no Estado.

“Saio confiante da reunião, porque enxerguei novamente boa vontade do ministro para resolver logo essas questões. As reuniões com o presidente do Supremo e com o procurador-geral da República mostram que o Ministério da Justiça está disposto a resolver o problema”, afirmou.

Moka alertou ao ministro sobre o risco de conflito grave na região de fronteira, onde, segundo o senador, os ânimos estão mais exaltados do que em outras regiões. “Senhor ministro, digo com total conhecimento: vai morrer gente ali porque, na fronteira, os produtores estão prometendo agir com a própria força”, disse.

Ao comentar sobre as áreas invadidas no Estado, Cardozo se disse “frustrado” com a negociação para a aquisição da Fazenda Buriti, em Sidrolândia. A área foi invadida por índios terena em 15 de maio de 2013. O ministro afirmou que havia expectativa de que o problema fosse resolvido. “Fiquei frustrado. Na hora de assinar o acordo, os proprietários recusaram”, declarou.

O ministro afirmou que a concretização da compra de Buriti balizaria as demais negociações. Para propor o acordo, o Ministério da Justiça assumiu o compromisso de suspender as demarcações de novas áreas. “Hoje, o Ministério Público move ação de improbidade contra mim porque suspendi as demarcações”, reclamou.

Conflito armado

Ao fim da reunião, Moka expôs o receio de que de que a situação possa fugir do controle, “desencadeando outras invasões”. O senador peemedebista lembrou, por exemplo, que um dos proprietários reagiu e expulsou os índios invasores, o que gera ainda mais preocupação.
 
Com relação às propostas do ministro, Moka afirmou ser um “homem de boa fé” e que confia “no bom sendo das pessoas”, lembrando, ainda, a angústia dos que são expulsos de sua terra, “só com a roupa do corpo”, e hoje estão sem terra, sem casa e, até, sem dinheiro.
 
A deputada estadual Antonieta Amorim (PMDB) disse que a audiência foi “muito boa” por apontar caminhos para a solução do problema. “Achei o ministro objetivo ao propor medidas para acelerar a resolução do conflito”, disse.
 
A senadora Simone Tebet (PMDB), autora da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 71 que tramita no Senado prevendo indenização aos proprietários que tenham terra desapropriada para ocupação indígena, acredita em avanço, após a reunião com o ministro da Justiça.
 
Segundo ela, “nós não podemos sair daqui de uma sexta reunião, para tratar do mesmo assunto, e não avançar, porque nós é que sabemos da angústia que o nosso estado e os nossos produtores rurais estão passando”.
 
O governador Reinaldo Azambuja, enfatizou a importância do relato feito pelos produtores que tiveram suas propriedades invadidas. Azambuja considera importante a decisão do ministro em mandar o presidente da Funai buscar o diálogo visando a retirada dos invasores.
 
“O que nós não queremos é o conflito”, afirmou o governador sul-mato-grossense, lembrando, contudo, que “o problema é grave, uma vez que as pessoas estão sendo expulsas de suas terras, daquilo que lhes pertence, ferindo profundamente o estado de direito”.
 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

MS NO PAN
Diversos

Campo-grandense Leonardo de Deus quebra recorde e conquista ouro em Toronto

O nadador campo-grandense Leonardo de Deusde 24 anos  quebrou o recorde pan-americano de Kaio Almeida e trouxe o ouro para o Brasil nos 200 metros borboleta nesta terça (14).

Leonardo de Deus fatura ouro nos 200m borboleta em Toronto | Foto: Timothy A. Clary / AFP / CP
Leonardo de Deus fatura ouro nos 200m borboleta em Toronto | Foto: Timothy A. Clary / AFP / CP

Leonardo completou a prova em 1min55s01. O recorde anterior, conquistado no Pan do Rio, em 2007, era de 1min55s45. Kaio também esteve na prova de Toronto, mas ficou em quinto lugar.

Além do ouro de Leonardo, o Brasil conquistou mais duas medalhas de bronze na natação.
A pernambucana Joanna Maranhão conseguiu a medalha nos 200 m borboleta, com 2min09s38. O ouro foi para a canadense Audrey Lacroix, e a prata ficou com Katherine Mills, dos Estados Unidos.

Nos 100 metros livre, o brasileiro Marcelo Chierighini conquistou o bronze, ficando atrás do argentino Federico Grabich e do canadense Santo Condorelli.

“Estou satisfeito com a medalha de bronze. Queria ter feito mais perto de 48 segundos, mas estou contente”, disse Marcelo Chierighini.

Matheus Santana ficou na sétima posição, com 49s58. Segundo ele, a parte mais difícil foi a virada. “Já sai atrás na volta. Esta é minha maior dificuldade, a virada. Foi muito lenta, não consegui explosão.”

O Brasil entra na água para disputar medalhas mais três vezes nesta terça, no revezamento masculino e feminino e nos 200 m borboleta -disputam Leonardo de Deus e Kaio Almeida.

Desafio do Guerreiro traz campeão peso-pesado de MMA para a Capital

Durante a inscrição, atletas lançaram desafios para os adversários

A contagem regressiva para o Desafio do Guerreiro começou e a disputa promete ser mais quente do que nunca. Em sua 3ª edição, o evento reunirá 14 atletas que aceitaram o desafio e lançaram vídeos convocando os adversários para a disputa.

 

Conforme um dos organizadores do evento, Fabio Sarzi, a brincadeira lançada para a inscrição faz parte da tradição esportiva das lutas.

 

“Cada atleta relatou por vídeo as suas características, categoria, informou peso, altura e aproveitou para lançar uma provocação respeitosa, que normalmente ocorre entre lutadores profissionais para participar e concorrer os desafios que devem surpreender o público”, relata.

 

A competição conta com atletas de alto nível das cidades de Campo Grande, Bonito, São Paulo, Manaus e Rio Grande do Sul. Foram inscritos 12 homens  e duas mulheres. Serão sete lutas de MMA e Muay Thai. Cada luta terá um vencedor.

 

Foto: Arquivo Fabio Sarzi


Conforme Sarzi, o objetivo das competições é destacar Mato Grosso do Sul no cenário das lutas nacionais. Para isso, o público precisa cultivar o interesse de assistir as grandes lutas e aproveitar as categorias. "Vamos contar com a presença do competidor Gleison Mamut. Esse competidor e campeão do peso-pesado e deve chegar amanhã (15), na Capital", destaca Fábio.

A competição vai acontecer no Ginásio Poliesportivo Dom Bosco no próximo sábado (18), e vai começar ás 19 horas. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15 para estudantes com carteirinha que pagam meia entrada. Os postos de venda são Gugu Lanches, HP Centro de Treinamentos, K Burger e academia Mais Fitness.

Adolescentes entram somente acompanhados dos pais. O evento é organizado pela  FSMT (Federação de MMA) e Muay Thai de Mato Grosso do Sul e tem o apoio da Abaetê Comunicação. 


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

CONFLITOS
Diversos

Ministro propõe 4 medidas para resolver conflitos indígenas em MS

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, apresentou nesta terça-feira (14) quatro medidas para resolver os conflitos pela posse de terra em Mato Grosso do Sul. As propostas foram feitas durante audiência, em Brasília, com parlamentares federais e estaduais, representantes dos produtores e o governador Reinaldo Azambuja.

Governador discute com ministro da Justiça soluções para conflitos indígenas em Mato Grosso do Sul
Governador discute com ministro da Justiça soluções para conflitos indígenas em Mato Grosso do Sul

As medidas anunciadas preveem reuniões emergenciais com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para discutir os processos de reintegração de posse. Os encontros deverão reunir parlamentares federais e estaduais, representantes dos produtores, da Funai e do Governo do Estado.

A segunda medida proposta pelo ministro prevê o atendimento de audiência em Brasília, solicitada pela Assembleia Legislativa, a fim de ouvir as reivindicações das comunidades indígenas. O argumento é que os índios também precisam ser ouvidos.

Cardozo anunciou também, como terceira medida, a retomada imediata da mesa de negociação com os proprietários de áreas invadidas, com a formação de comissão composta pelos proprietários, Funai, Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público e representantes dos índios a ser indicados pela Funai.

Como quarta ação, o ministro atendeu sugestão do senador Waldemir Moka (PMDB) e determinou que o presidente da Funai, João Pedro Gonçalves, visite o Estado para dialogar com as etnias envolvidas no conflito. O objetivo é suspender as invasões de forma negociada, permitir que os proprietários das áreas possam colher a produção e retirar insumos, como fertilizantes, calcário e maquinário.

Uma nova reunião irá tratar do tema. O encontro com os técnicos do governo federal durou toda a tarde. Foram tratadas ações para garantir a ordem constitucional e a integridade dos índios e dos produtores rurais. ¨O que pedimos a todos os envolvidos no processo é que a lei seja respeitada e que todos os lados interessados se esforcem para chegar a um consenso’, disse o governador .

Fim das Invasões

O governador Reinaldo Azambuja, ao sair do encontro com o ministro, informou que teve garantias do governo de que as invasões em terras produtivas vão ser combatidas com o rigor da lei e que uma solução nos moldes da proposta acertada para a região de Buriti está sendo encaminhada. A bancada federal, incluindo senadores e deputados federais, se comprometeu a acompanhar todo o processo.

Inmet prevê tempestade em 73 município de MS na quarta-feira

A meteorologia prevê tempestade em 73 municípios de Mato Grosso do Sul na quarta-feira (15), segundo o Instituto de Nacional de Meteorologia (Inmet). Em algumas cidades poderá ter chuva de granizo e descargas elétricas.

Segundo o instituto, há possibilidades de tempestade nos municípios de Água Clara, Alcinópolis, Anaurilândia, Bandeirantes, Bataguassu, Brasilândia, Camapuã, Campo Grande, Corguinho, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Jaraguari, Nova Alvorada do Sul, Pedro Gomes, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Sonora, São Gabriel do Oeste, Terenos e Três Lagoas.


Em Angélica, Aquidauana, Anastácio, Antônio João, Aral Moreira, Bataiporã, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Caarapó, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Deodápolis, Douradina, Dourados, Eldorado, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Jardim, Jateí, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rio Brilhante, Sapezal, Sete Quedas, Sidrolândia, Tacuru, Taquarussu, Vicentina e Amambai há risco de tempestade mais forte.

De acordo com o Inmet, por causa do mau tempo, em alguns municípios pode ocorrer quedas de galhos de árvore, chuva de granizo, alagamentos e descargas elétricas.

Em Campo Grande, a mínima prevista é de 19°C e máxima de 26°C. O tempo deve ficar nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas.

Em Bonito, os termômetros devem ficar entre 16° e 26°C. Em Aquidauana, a mínima será de 20°C e máxima de 32°C. Já em Paranhos, a temperatura deve oscilar entre 16ºC e 26°C


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

ITAIPU
Diversos

Itaipu é a empresa com maior faturamento do Paraná em 2014

Economia
 

A Itaipu Binacional encerrou o ano de 2014 com faturamento de US$ 3,6 bilhões (cerca de R$ 11bilhões). De acordo com o ranking Melhores & Maiores divulgado pela revista Exame, a empresa acumula o melhor resultado em todo o Paraná. O rendimento é resultado da venda de energia elétrica. A usina é responsável pelo abastecimento de 17% de toda a energia consumida no Brasil e 75% da utilizada no Paraguai.  No ramo de energia, a hidrelétrica ocupa a quarta posição no país. Atrás apenas da Petrobras (US$ 92 bilhões), Cemig Distribuição (US$ 3,8 bilhões) e da Copersucar Cooperativa (US$ 3,8 bilhões). (Foto: Kiko Sierich)


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

GIRO POLICIAL
Diversos
Polícia prende três com 1,4 tonelada de maconha e dois carros de luxo
 
Três homens foram presos em Amambai, distante 130 km de Campo Grande, no fim de semana. A polícia identificou o grupo depois de localizar um jovem de 21 anos que durante o percurso atropelou uma mulher e fugiu. 
Eles estavam com 1,4 tonelada de maconha e dois carros de luxo, conforme noticia o Portal G1.

Segundo o DOF (Departamento de Operações de Fronteira), a droga foi localizada depois de abordar no centro, um veículo de luxo de cor preta, com placa de Dourados. O carro era conduzido por um rapaz de 21 anos, que atropelou uma mulher na saída para Coronel Sapucaia e fugiu.

Durante a abordagem, o suspeito e o passageiro de 20 anos acabaram informando que tinham guardado uma caminhonete importada em uma vila de casas no Jardim Panorama.

Policiais encontraram a caminhonete que estava com placas falsas de Guarulhos (SP). O veículo estava no pátio da vila aos cuidados de um jovem de 20 anos. Na vistoria, foram encontrados 1.450 tabletes de maconha que totalizaram 1,408 mil quilos.

Os suspeitos disseram ter sido contratados por um desconhecido para pegar o carro já carregado com a droga e com as chaves no contato, na entrada de Amambai. Depois deveriam deixar o veículo na saída para Caarapó onde seria pego por um quarto integrante do grupo, que não foi identificado.

Os três homens foram presos e encaminhados junto com os veículos e a droga para a Delegacia da Polícia Civil de Amambai. Eles foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação.
 
DOF prende traficante em Bonito com 300kg de maconha
Divulgação
Ampliar
Droga apreendida pelos policiais
Policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) prenderam nesta terça-feira (14), em Bonito, um campo-grandense de 42 anos com 300 quilos de maconha. Segundo o acusado, a droga pega em Bela Vista tinha como destino a Capital.

O acusado, que conduzia um carro popular com placas de Três Lagoas (MS), foi abordado no início da manhã na MS-178, no trecho que dá acesso a BR-267. Durante vistorias ao veículo, os homens do DOF localizaram 361 tabletes de maconha, que após pesados totalizaram 300 quilos e mais 1,1 quilo de haxixe, divididos em 283 bolas de droga.

O homem foi preso e encaminhado junto com as drogas e o veículo para a Delegacia da Polícia Civil de Bonito, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. Para a autoridade policial, o homem disse que pegou a droga em Bela Vista e que iria entregar em Campo Grande, para um desconhecido.

Operação Lama Asfáltica cria saia justa para presidente do PMDB

Parlamentar pode colocar lideranças em apuros

A Operação Lama Asfáltica, comandada pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União deve provocar grande polêmica na Câmara de Campo Grande nesta manhã e colocar muita gente em saia justa. A presidente do PMDB em Campo Grande, Carla Stephanini, é uma das que podem passar constrangimento, frente aos debates.

Quando proposta, a CPI dos Buracos não emplacou por falta de assinaturas. Dos 29, só oito assinaram o requerimento: Luiza Ribeiro (PPS), Paulo Pedra (PDT), Cazuza (PP), Ayrton do PT, Thais Helena (PT), Alex do PT, José Chadid (sem partido) e o vereador Chiquinho Telles (PSD).

A CPI precisava de apenas 10 assinaturas para sair do papel, mas não emplacou. Hoje, ela poderia ser efetivada se os vereadores mantivessem as assinaturas e contassem com apoio de dois vereadores que hoje estão na oposição: Eduardo Romero (PTdoB) e Carla Stephanini.

A dupla não assinou o primeiro requerimento e poderia contribuir, mas Carla Stephanini pode criar problemas para o próprio partido caso assine. Isso porque a oposição tem a intenção de apurar contratos desde a gestão de Nelsinho Trad (PMDB), elogiada pela vereadora.

Hoje, Nelsinho ameaça sair do PMDB, o que poderia livrar Carla de qualquer compromisso. Porém, a Operação Lama Asfáltica, por exemplo, foi à casa de Edson Giroto (PR), principal escudeiro de André Puccinelli, padrinho político de Carla.

Apesar da dificuldade, a Câmara deve trazer o debate hoje, diante da operação que voltou a colocar Amorim em evidência. A vereadora Luiza Ribeiro, por exemplo, questiona o número de empresas que prestam serviço de tapa-buraco em Campo Grande. Ela não entende, por exemplo, porque 34 empresas operam os serviços de tapa-buraco e cascalhamento em Campo Grande. “Acredito que usam este sistema para produzir desvios de recurso através de execução de obras, que chega em torno de R$ 10 milhões”, declarou. A reportagem tentou contato com a vereadora, mas o celular estava desligado.

Operação Lama Asfáltica

A Polícia Federal, Receita Federal e CGU (Controladoria-Geral da União) realizaram a operação na última quinta, quando cumpriram 19 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, visando obter detalhes de contratos com um dos maiores empreiteiros do Estado, João Alberto Krampe Amorim dos Santos.

Policiais ficaram trancados por quase cinco horas com João Amorim na residência dele, na Vila Vendas, mas também foram a uma das empresas dele, a  Proteco Engenharia, residência do ex-deputado Edson Giroto (PR) e na Secretaria de Obras do Estado, que também tinha contratos com Amorin. Quatro servidores foram afastados do Estado

Preso acusado de matar policial confessa crime em vídeo

A Polícia Civil prendeu no final da manhã dessa terça-feira, 14 de julho, em uma região de fazendas entre os municípios de Tacuru e Iguatemi, José Osmar Freitas, o “Veinho”, de 27 anos.

Foto reprodução
Foto reprodução

Veinho estava sendo procurado pela polícia de toda a região Cone Sul de Mato Grosso do Sul desde o início da noite do dia 28 de junho, quando executou a sangue frio, o investigador da Polícia Civil, Nivaldo José de Almeida, durante uma abordagem.

O crime aconteceu na cidade de Tacuru, onde o policial residia e era lotado na Delegacia local.

Segundo o delegado encarregado pelas operações de busca pelo acusado, Dr. Thiago de Lucena e Silva, Veinho foi abordado pelos investigadores quando transitava a pé em uma estrada dentro de uma fazenda e não reagiu.

De acordo com o delegado, na hora da abordagem José Osmar estava desarmado e carregava consigo uma sacola plástica contendo materiais de higiene, como escova de dente, aparelho de barbear e alguns alimentos.

Segundo a Polícia Civil, Veinho, que já tinha passagens por tráfico, furto e violência doméstica, estava com a aparência debilitada, o que pode indicar que desde o dia do crime, ele estaria vivendo perambulando entre propriedades rurais da região e se escondendo em matas.

Depois de preso, Veinho contou aos policiais sua versão para o crime e disse que perdeu as armas, um revólver que ele usava e uma pistola pertencente ao policial, durante a fuga no mato.

José Osmar Freitas que já estava com a prisão preventiva decretada pela Justiça em virtude do crime, permanece preso na cadeia pública de Iguatemi.

Segundo Dr. Thiago Lucena ele responderá, além do crime de homicídio contra o policial, por resistência, dois portes ilegais de armas, um de uso permito (revólver) e outro de uso restrito (a pistola do policial), por furto, tendo em vista ter levado a arma do policial assassinado e também por tentativa de homicídio, por ter ferido a tiro outra pessoa, fator que gerou a reação do policial morto.

Testemunha relatou detalhes da execução

Uma testemunha ocular dos fatos ouvida pela Polícia Civil na noite do domingo, dia do crime, em Tacuru relatou detalhes da execução do policial..

De acordo com o depoimento da testemunha, ele estava em sua residência quando ouviu três tiros e saiu de casa para verificar, quando se deparou com José Osmar, o “Veinho”, caminhando calmamente pela rua com um revólver na mão.

Segundo relatou a testemunha, os disparos que havia escutado teriam sido efetuados por Veinho contra um indivíduo de nome “Leandro” que foi atingido em uma das mãos.

Nesse momento chegou o policial José Nivaldo de Almeida, que mora nas imediações e tentou prender o indivíduo.

De acordo com relato da testemunha, cujo nome está sendo mantido em sigilo, o investigador teria gritado por algumas vezes “polícia, policia, para”.

Nesse instante Veinho teria erguido as mãos. O policial teria dito; “Você está preso” e, segurando sua pistola em uma das mãos, teria tirado a arma do acusado com a outra.

Nesse momento o investigador teria ordenado à José Osmar que se deitasse no chão, foi quando o acusado teria reagido, empurrado o policial e tentado fugir, foi quando José Nivaldo teria passado uma rasteira em Veinho, que acabou caindo ao solo.

Quando o policial deu a ordem para o foragido se deitar de bruço, Veinho teria reagido, avançado em Nivaldo e tomado sua pistola, vindo a efetuar dois disparos contra o agente da lei com sua própria arma.

Ferido com um tiro na altura da barriga e outro possivelmente na perna, o policial se ajoelhou, foi quando o marginal encostou a pistola na cabeça, próximo ao ouvido de José Nivaldo e disse, “isso é para você aprender a não entrar na briga dos outros”, vindo a puxar o gatilho e consolidar a execução sumaria do policial.

De acordo com a testemunha, após executar o investigador, Veinho, que segundo o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS) responde a processos por tráfico, furto e violência doméstica, fugiu a pé em direção a uma região de chácara, situada na periferia da cidade levando consigo duas armas, o revólver que ele havia atirado em Leandro no bar e a pistola tomada do investigador.

O investigador José Nivaldo de Almeida trabalhava junto a Delegacia de Polícia Civil de Tacuru há pelo menos sete anos. Ele era casado e deixou três filhos.

Segundo caso em três anos

Esse foi o segundo caso de assassinato de policial civil em Tacuru em três anos.

Em setembro de 2012 o policial civil Miguel Holsbach foi alvejado quando assistia TV na sala de casa ao lado da esposa, uma funcionária pública municipal local.

Após ser atingido, o policial ainda teria tentado se esconder em um dos cômodos da casa, mas acabou não resistindo e morreu.

Durante a ação criminosa a esposa do policial também acabou ferida com pelo menos quatro disparos. Ela foi socorrida para o Hospital Municipal local em Tacuru e sobreviveu.

Dos dois suspeitos de envolvimento no crime na época, um está preso e outro foi assassinato à tiros no Paraguai após fugir da cadeia em Eldorado.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

TURISMO
Diversos

Conheça os atrativos oferecidos por Gramado e Canela

Cidades obrigatórias no turismo de inverno brasileiro, Gramado e Canela proporcionam opções diversificadas para usufruto de seus visitantes.

Viajar é uma delícia. No que diz respeito ao período das férias, não há jeito melhor de aproveitar o período de descanso merecido do que conhecendo lugares novos na companhia de família, casal ou amigos. O Rio Grande do Sul oferece belas rotas a serem desfrutadas por viajantes motorizados. A mais conhecida dela, sem dúvida, é a rota que leva aos destinos Canela e Gramado, pontos turísticos que, anualmente, atraem milhares de pessoas do mundo inteiro.

O sucesso não vem por acaso. Gramado e Canela oferecem a melhor estrutura possível para se aproveitar o friozinho da Serra Gaúcha com conforto e requinte. Ambas as cidades são planejadas para que os visitantes tenham a melhor experiência possível. Os atrativos são diversos, atendendo às mais variadas demandas e permitindo que usufruto por parte dos turistas nas mais diferentes ocasiões.

Charme e conforto

Gramado e Canela oferecem uma ambientação especialmente confortável para proporcionar uma visita cheia de requinte. Além de diversas edificações antigas que se encontram bastante conservadas, como a Cateral de Pedra e o Castelinho Caracol em Canela ou a Igreja São Pedro em Gramado, as cidades oferecem ambientes diferenciados como a Rua Coberta e a Praça Major Nicoletti, excelente lugar para uma visita entre casal ou amigos.

Boa comida

Delícias culinárias são itens obrigatórios para qualquer viagem que se preze. E a rota Gramado-Canela está preparada para receber turistas que buscam o melhor da comida da Serra. Ambas cidades oferecem restaurantes de alta qualidade, com opções especiais para o friozinho da região. Nada como dividir uma fondue com os amigos curtindo as temperaturas baixas das cidades. Para a sobremesa, verdadeiros itens de luxo: os famosos chocolates de Gramado.

Belezas naturais

Além de excelente infra-estrutura urbana, as cidades oferecem lindas paisagens naturais. Seja para passar um dia de lazer com amigos ou para fazer uma trilha por entre a natureza, locais como o Parque do Caracol, a aproximadamente 7km do centro de Canela são visitas obrigatórias. Já Gramado, entre seus pontos de visita para quem quer estar entre o meio ambiente, proporciona a linda vista de 850m de altitude do Vale do Quilombo. Também merecem destaque o Parque do Palácio (Canela) e o Lago Negro (Gramado).

Para as crianças

A rota Gramado- Canela também oferece atrativo para os baixinhos. Locais como o Mini Mundo e o Mundo à Vapor prometem experiências mágicas para a criançada. Um passeio de pedalinho no Lago Negro e uma visita às delícias do Reino de Chocolate também caem muito bem no gosto da gurizada.

Melhores condições em aluguel de automóveis

Para ajudar você a usufruir ao máximo de suas férias na Serra, a
Localiza está oferecendo condições especiais para locação com pacotes de 3 dias a partir de R$ 327,90 e diárias a partir de 10x de R$ 35,79.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

PAN
Diversos

Com ippon aos 13 segundos, David Silva dá 12º ouro ao Brasil

Brasileiro não teve problemas para derrotar o equatoriano Freddy Figueroa

 
Com ippon aos 13 segundos, David Silva dá 12º ouro ao Brasil COB/Divulgação
Foto: COB / Divulgação

Após Luciano Corrêa faturar o ouro, o matogrossense David Moura levou o Brasil novamente ao lugar mais alto do pódio no judô, na noite desta terça-feira, no Pan de Toronto. Ele venceu o equatoriano Freddy Figueroa com um ippon em apenas 13 segundos de luta na categoria acima de 100 quilos.

Confira o quadro de medalhas

Além de David e Luciano, Tiago Camilo e Charles Chibana já haviam conferido outros ouros para o Brasil no Canadá. Também na noite desta terça, as judocas Mayra Aguiar e Maria Suelen Altheman obtiveram medalhas de prata e bronze, respectivamente.

Mayra Aguiar perde para maior rival e fica com a prata no Pan

Judoca gaúcha foi punida por falta de combatividade contra Kayla Harrison

Mayra Aguiar perde para maior rival e fica com a prata no Pan William Lucas/Inovafoto/ Bradesco/Divulgação
Mayra foi dominada por americana campeã olímpica Foto: William Lucas / Inovafoto/ Bradesco/Divulgação

Mais uma vez Mayra Aguiar bateu na trave em Jogos Pan-Americanos. Com uma punição, a atual campeão mundial foi derrotada pela americana Kayla Harrison, sua maior rival nos tatames, e teve de se contentar com a medalha de prata na categoria meio-pesado (até 78kg) em Toronto.

Leonardo de Deus é bicampeão pan-americano nos 200m borboleta

Brasil soma agora nove medalhas de ouro em Toronto

Leonardo de Deus é bicampeão pan-americano nos 200m borboleta Al Bello/Getty Images/AFP
Foto: Al Bello / Getty Images/AFP

O Brasil conquistou a primeira medalha de ouro na natação com Leonardo de Deus, que se tornou bicampeão dos 200 metros Borboleta ao vencer a prova nos Jogos de Toronto, nesta terça-feira.

Leonardo, que havia subido ao mais alto do pódio nos Jogos de Guadalajara-2011, se impôs em Toronto com um tempo de 1:55.01, pouco à frente do peruano Mauricio Fiol, medalhista de prata com 1:55.15. O bronze ficou o canadense Zack Chetrat (1:56.90). O brasileiro Kaio Almeida, campeão mundial da prova em 2006, também participou da prova, mas chegou na quinta colocação, com tempo de 1:58.51.

Antes, o Brasil conquistou os dois primeiros bronzes na piscina dos Jogos de Toronto com Marcelo Chierigini e Joanna Maranhão.

* AFP


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

ESTATUTA DA CRIANÇA E ADOLECENTE
Diversos

Senadores aprovam projeto para aumentar tempo de internação de menores infratores

Texto cria um regime especial de atendimento socioeducativo dentro do Estatuto da Criança e do Adolescente

Senadores aprovam projeto para aumentar tempo de internação de menores infratores Moreira Mariz/Senado/ Divulgação
Foto: Moreira Mariz / Senado/ Divulgação

Apesar dos protestos de senadores, o plenário do Senado aprovou, na noite desta terça-feira, o projeto do senador José Serra (PSDB-SP), que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e aumenta o tempo de internação de menores infratores que cometem crimes hediondos e homicídio doloso. O texto segue agora para a apreciação na Câmara dos Deputados.

O projeto aprovado, por 43 votos a 13, foi um substitutivo apresentado à proposta pelo senador José Pimentel (PT-CE). O petista, porém, acatou a versão original de Serra, que aumentava o prazo da pena de três para dez anos. Originalmente, Pimentel defendia o tempo máximo de oito anos.

O projeto também prevê que os menores infratores que cometerem crimes graves fiquem em uma ala separada dos demais. Em outra frente, a proposta também endurece a pena de adultos que usarem menores para praticar crimes.

Apesar de ser uma ideia de Serra, o projeto recebeu o apoio do Palácio do Planalto, que o vê como uma alternativa à proposta de redução da maioridade penal de 18 para 16 anos aprovada em primeiro turno pela Câmara dos Deputados. O líder do PT, Humberto Costa (PE), no entanto, liberou a bancada por votar como quisesse.

Ao anunciar que abriria a ordem do dia com a apreciação da proposta, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi interpelado pelos seus pares, que pediram mais tempo para discutir a proposta. Os senadores cobraram de Renan a promessa que o peemedebista tinha feito de criar uma comissão para analisar tanto a proposta de alteração no ECA quanto de redução da maioridade penal.

— Esse tema é um tema muitíssimo importante. Não dá para votar uma mudança tão importante no ECA sem uma discussão mais aprofundada — disse o petista Lindbergh Farias (RJ).

O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) argumentou que a criação da comissão suspendia o debate do projeto.

Foi colocado em votação um requerimento para decidir se o projeto seria votado ou não. Por 35 votos a 32, os senadores rejeitaram a proposta de adiar discussão do projeto.

O autor da proposta, Serra aproveitou a proximidade quem tem mantido com o presidente da Casa para pedir que o projeto fosse apreciado. Na segunda-feira, o senador chegou a procurar parlamentares contrários à aprovação do projeto, inclusive o senador Fernando Collor (PTB-AL), para tentar convencê-los da importância da matéria.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

CONFLITO NO CAMPO
Diversos
Governador discute com ministro da Justiça soluções para conflitos indígenas em Mato Grosso do Sul
Matheus Bacellar
Ampliar
Reinaldo durante encontro com ministro
O governador Reinaldo Azambuja conversou, durante a tarde desta terça-feira (14), com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, soluções para resolver a situação de conflito fundiário envolvendo índios e os produtores rurais em Mato Grosso do Sul.

Acompanhado de dois senadores, Waldemir Moka (PMDB) e Simone Tebet (PMDB), e dos deputados federais Geraldo Resende, Mandetta e Dagoberto Nogueira, além de prefeitos, produtores rurais e representantes dos indígenas, o governador ouviu as propostas do governo federal para acabar com os conflitos.

Uma nova reunião irá tratar do tema. São três possibilidades: reunião com o Ministério da Justiça e Ministério  Público Federal para acertar as questões jurídicas; formação de uma mesa de negociação envolvendo vários setores, Funai (Fundação Nacional do Índio) e Governo de Mato Grosso do Sul; e uma reunião na Assembleia Legislativa do Estado para tratar do tema.

O encontro com os técnicos do governo federal durou toda a tarde. Foram tratadas ações para garantir a ordem constitucional e a integridade dos índios e dos produtores rurais. ¨O que pedimos a todos os envolvidos no processo é que a lei seja respeitada e que todos os lados interessados se esforcem para chegar a um consenso’, disse o governador .

Fim das Invasões

O governador Reinaldo Azambuja, ao sair do encontro com o ministro, informou que teve garantias do governo de que as invasões em terras produtivas vão ser combatidas com o rigor da lei e que uma solução nos moldes da proposta acertada para a região de Buriti está sendo encaminhada. A bancada federal, incluindo senadores e deputados federais, se comprometeu a acompanhar todo o processo.

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

PONTA PORÃ
Diversos   Marcelino participa de entrega de Certificado de Dispensa de Incorporação
Diversas autoridades estiveram presentes durante a entrega do Certificado de Dispensa de Incorporação (CDI).
O presidente da Câmara Municipal de Ponta Porã, Marcelino Nunes de Oliveira, participou na manhã desta terça-feira, 14 de julho, da entrega do Certificado de Dispensa de Incorporação (CDI) e Compromisso à Bandeira Nacional para os reservistas do município.

O evento foi realizado pela prefeitura municipal através do 11º Regimento de Cavalaria Mecanizado, em frente à prefeitura, onde fizeram a entrega da CDI para 80 soldados que foram dispensados nos meses de janeiro e fevereiro de 2015.

Diversas autoridades estiveram presentes como o prefeito, Ludimar Novais, o Comandante do 11º R C Mec, Coronel Hélcio Miranda Duque Botelho, o Delegado do Serviço Militar da 3ª Delegacia, Capitão Hugo César Rodrigues Goulart, o presidente da Casa de Leis, Marcelino Nunes de Oliveira, além de militares, secretários municipais e pais dos reservistas.

O Delegado do Serviço Militar da 3ª Delegacia, Capitão Hugo César Rodrigues Goulart, destacou a importância do compromisso que os jovens assumem com a pátria e que o CDI é um documento de suma importância para todo cidadão, pois sem ele, fica impossibilitado de expedir alguns documentos como título de eleitor, passaporte, entre outros.


Momento em que o presidente da Câmara Municipal, Marcelino Nunes de Oliveira entregou Certificado de Dispensa de Incorporação (CDI) para o reservista, Robert Delgado Centurion.


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

SAUDE
Diversos 14h57

4 dicas infalíveis para melhorar sua memória

Thinkstock Thinkstock

Ovencimento da fatura do cartão de crédito, o nome daquela atriz (aquela, daquele filme), o título do último livro que você leu... Às vezes parece que as informações são deletadas da sua cabeça sem aviso prévio? As falhas da memória são consequência do passar do tempo, sim, mas não só. “Diabetes, hipertensão e problemas da tireoide, assim como déficit de vitaminas e depressão, se não controlados, comprometem o desempenho cerebral”, explica a neurologista Sonia Brucki, professora da Universidade de São Paulo. Quem quer melhorar a memória precisa manter a saúde em dia e se empenhar em treinar o cérebro – e esse é um dos principais ensinamentos de Nelson Dellis, quatro vezes campeão da memória nos Estados Unidos (onde existe uma competição que mede o potencial de recordação dos participantes). A seguir, quatro dicas para turbinar a memória.

1. Treine seu cérebro 

Nelson Dellis, campeão da memória, dá sua receita: “Quando quero memorizar algo, o primeiro passo é prestar atenção”, afirma ele, que leva a sério as recomendações quanto a alimentação, exercícios e bem-estar já mencionadas. Em seguida, ele indica algumas de suas estratégias. Suponhamos que você precise decorar o nome de alguém e suas feições. Crie uma história entre elas – Isabel, digamos, que se parece com sua tia, detesta o próprio nome. Então visualize-as discutindo sobre isso. Ela grita, brava: “Detesto me chamar Isabel!” Use suas sensações: você fica assustada com os gritos. Inverossímil? “É útil criar cenas exageradas. Como aquela imagem se destaca das outras, é mais facilmente armazenada pelo cérebro”, ele diz. Também ajuda situar a cena imaginária em um cômodo da sua casa ou outro ambiente familiar. Outra estratégia: aproveite momentos livres (como o trânsito) para “repassar” dados que precisa guardar – como a apresentação de um projeto.

2. Desafie o raciocínio sempre 

Leitura, palavras cruzadas, quebra-cabeças e mesmo discussões sobre política e atualidades exercitam nossa capacidade de guardar dados. “Se alguém trabalhou como advogado a vida inteira e, depois da aposentadoria, deixa de ter atividades intelectuais, a memória e a concentração são prejudicadas”, alerta Sonia Brucki. Quer dizer, para manter o cérebro em pleno funcionamento é preciso desafiar o raciocínio constantemente. E, para desenvolvê-lo, essas atividades são essenciais também, como notou o engenheiro Antônio Carlos Guarini Perpétuo, fundador da Supera, rede de escolas baseadas na “ginástica cerebral”. O conceito por trás dessa rede é estimular o cérebro por meio de exercícios que permitem restabelecer e turbinar suas conexões. Perpétuo decidiu apostar nisso depois que notou a diferença que o treino com o ábaco, calculadora manual da Antiguidade, tinha feito pela capacidade de concentração e aprendizado de seu filho, então com 9 anos.

3. Leve uma vida saudável

Quem faz atividade física tem 35% menos risco de declínio cognitivo do que os sedentários, aponta estudo publicado no Journal of Internal Medicine. O prato também conta – e muito. Alimentos como nozes, azeite e tomate (típicos da dieta mediterrânea) são ricos em ômega 3, gordura monoinsaturada e licopeno, respectivamente, que retardam a oxidação das células como um todo, inclusive os neurônios. “Vinho tinto de qualidade e sem exageros e alimentos integrais também fazem diferença”, complementa o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia. Outro componente especialmente benéfico para a memória, descobriu-se recentemente, é o DHA, presente no ômega 3. Ele pode ser encontrado em peixes de água fria, como salmão e atum, ou em suplementos – com orientação médica. “A suplementação é contraindicada para quem tem problemas de coagulação”, avisa Ribas Filho. 

 4. Mantenha o astral alto

“A depressão causa um rebaixamento da capacidade neuronal”, alerta o psiquiatra Luís Gustavo Buzian Brasil. Com isso, atividades cerebrais, como memória e atenção, ficam comprometidas e a pessoa tem maior dificuldade de se lembrar de fatos antigos e (por causa da atenção menor) recentes. “Períodos de tristeza não patológica também prejudicam a concentração”, avisa o especialista. “A pessoa sente um desânimo que acaba diminuindo sua capacidade de focar.” Segundo ele, se a sensação se prolonga por mais de três semanas, já é motivo para procurar um médico – remédios e psicoterapia podem ajudar. Mas nem só os casos extremos influenciam no funcionamento do cérebro. “Seguir a vida com bom humor e leveza, assim como ver amigos com frequência e participar de atividades em grupo, é importante para o bem-estar”, aponta Sonia. Quanto melhor a pessoa estiver se sentindo, maiores as chances de ter suas funções mentais a pleno vapor.

16h05

6 usos incríveis do sal para eliminar caspa, ter unhas fortes e mais

Além de ser um alimento indispensável na cozinha, o sal tem muitos benefícios e usos surpreendentes na beleza. O alimento pode servir como um poderoso cosmético e grande aliado para deixar o cabelo brilhando, as unhas fortes e a pele hidratada. Duvida? Confira na galeria 6 receitas caseiras para adotar o sal como produto de beleza e economizar.

Esfoliante para a pele - O sal é ótimo hidratante, além de ter propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas. Ele limpa os poros e desintoxica a pele, deixando muito mais macia. Coloque em um frasco 2 xícaras (chá) de bicarbonato de sódio, 2 xícaras (chá) de sal grosso e 1 xícara (chá) de sal fino. Agite bem e passe em movimentos circulares nas partes secas do corpo. Deixe agir por cinco minutos e enxague com água.

Banho de sal - Para relaxar e tonificar a pele coloque sal em uma banheira com água morna e deixe agir por 30 minutos. Além de hidratar, o sal elimina as toxinas da pele.

Eliminar caspas - Depois de passar o shampoo, aplique no cabelo uma mistura de 1 colher (sopa) de vinagre branco com 2 colheres (sopa) de sal e 1 litro de água. Deixe agir por alguns minutos e enxague. Esta combinação elimina as células mortas e ajudar a combater a caspa.

Esfoliante para o rosto - Para hidratar a pele, passe uma mistura de 1 colher (sopa) de óleo de amêndoas e 1 colher (sopa) de sal no rosto, esfregando levemente por alguns minutos. Este esfoliante limpa os poros e reduz a oleosidade.

Cabelo mais bonito - Para acabar com a oleosidade e deixar o cabelo hidratado, dissolva 1 colher (sopa) de sal marinho em 1 xícara (chá) de água morna e acrescente 1 colher (chá) de óleo de coco. Misture bem, aplique no cabelo úmido e massageie. Deixe agir por alguns minutos e enxague.

Unhas mais fortes - Para fortalecer as unhas, misture 1 colher (sopa) de sal em ½ litro de água e deixe agir por cerca de 10 minutos. 


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

NOTICIAS DA TARDE
Diversos 15h20

Acidente deixa 26 feridos na BR-163 em MS

Acidente registrado no início da tarde desta terça-feira (14) na BR-163, próximo ao município de Jaraguari, deixou 26 pessoas feridas. A colisão, segundo a empresa concessionária pela rodovia, ocorreu entre uma carreta e um ônibus.

Conforme o Campo Grande News, pelo menos dez ambulâncias estão em deslocamento, sendo quatro dos bombeiros, três do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e três da concessionária.

Ainda não há informações sobre as causas e circunstâncias da colisão ou sobre a gravidade dos ferimentos das vítimas. A CCR informou que a via está totalmente interditada.

A colisão perto de outro acidente, ocorrido na manhã de hoje, onde um caminhão com combustível tombou, pegou fogo e causou o vazamento de 30 mil litros de óleo diesel. Não há informações se o segundo acidente ocorreu em decorrência do primeiro

Senado critica PF por entrar em imóvel funcional de Collor
Segundo advogado-geral do Senado, PF descumpriu resolução; PF nega. Operação desta terça tem 53 mandados e é desdobramento da Lava Jato
G1
A Polícia Legislativa do Senado e a Advocacia-Geral do Senado informaram nesta terça-feira (14) que a Polícia Federal descumpriu resolução da Casa ao entrar em apartamento funcional do senador Fernando Collor (PTB-AL) para cumprir mandado de busca e apreensão. 

Segundo o Senado, a entrada de policiais na casa do parlamentar ocorreu sem que fosse apresentado o mandado judicial.

A PF deflagrou na manhã desta terça a Operação Politeia, com a execução de mandados de busca e apreensão na residência de políticos suspeitos de envolvimento com o esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato.

Os agentes da PF foram também às casas do senador Ciro Nogueira (PP-PI) e do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), em Brasília, do ex-ministro e ex-deputado Mário Negromonte (PP-BA), na Bahia, e do ex-ministro e senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE). Também foi realizada busca e apreensão na casa do ex-deputado João Pizzolati (PP) e na casa da ex-mulher dele, em Santa Catarina.

De acordo com o advogado-geral do Senado, Alberto Cascais, a PF descumpriu a resolução nº 40 da Casa e fez o que ele chamou de "invasão". "Pra quem não sabe, resolução tem força de lei. Então, a PF ao adentrar a um próprio do Senado, eu entendo, é claro que anda vamos estudar o caso, mas entendo que começam aí as ilegalidades. E isso pode até macular o inquérito policial", disse Cascais.

"Não tem objetivo nenhum da Polícia do Senado, do Senado, de qualquer órgão, de obstar o cumprimento de um mandado judicial, só que esse mandado judicial nunca foi apresentado. O que houve aqui foi uma simples invasão, porque esse mandado não foi mostrado a ninguém", completou.

A assessoria de imprensa da Polícia Federal informou que a Polícia Legislativa não possui legitimidade para receber mandados oficiais. Ainda assim, segundo o órgão, a PF apresentou o documento, mas não o entregou. A PF também informou que a resolução é do Senado e a busca foi amparada por uma decisão de ministros do Supremo Tribunal Federal.

De acordo com o diretor da Polícia Legislativa do Senado, Pedro Ricardo Araújo Carvalho, não foi apresentada nenhum documento oficial da PF durante a apreensão. “Nós chegamos aqui e fomos impedidos de entrar numa residência oficial do Senado, supostamente por pessoas que diziam ser membros do Ministério Público e policiais federais. Não nos foi mostrado nenhum documento oficial que comprovasse a informação e também não nos foi mostrado o mandado de busca e apreensão”, disse.

Ao todo, a PF foi autorizada a cumprir 53 mandado. As autorizações foram dadas pelos ministros Teori Zavascki, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal). Os mandados fazem parte de seis inquéritos do Supremo que investigam políticos dentro da Operação Lava Jato.

O que dizem os suspeitos

Senador Fernando Collor (PTB-AL) - A defesa de Collor usou as redes sociais para se manifestar sobre a busca e apreensão em suas residências. No Twitter e no Facebook, os advogados do senador do PTB disseram repudiar com "veemência" a ida dos policiais federais a residência dele.

A medida invasiva e arbitrária é flagrantemente desnecessária, considerando que os fatos investigados datam de pelo menos mais de dois anos, a investigação já é conhecida desde o final do ano passado, e o ex-presidente jamais foi sequer chamado a prestar esclarecimentos", diz trecho da nota.

Senador Ciro Nogueira (PP-PI) - Responsável pela defesa do senador Ciro Nogueira (PP-PI), o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, classificou de “abusiva” a busca e apreensão de documentos na casa do cliente dele.

“O senador já falou, colocou à disposição da polícia o sigilo telefônico, bancário e fiscal. Vivemos uma época em que medidas invasivas se tornaram regra, não exceção. Ele já prestou depoimento”, ressaltou Kakay.

Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) - Por meio de nota, o advogado André Luís Callegari, que defende Fernando Bezerra Coelho, disse que o parlamentar do PSB confia no trabalho das autoridades e que continua à disposição da polícia para colaborar nas investigações. Segundo o criminalista, Bezerra está aguardando para prestar depoimento no inquérito da Lava Jato.

“O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) manifesta sua confiança no trabalho das autoridades que conduzem este processo investigatório e continua, como sempre esteve, à disposição para colaborar com os ritos processuais e fornecer todas as informações que lhe forem demandadas; inclusive, de documentos que poderiam ter sido solicitados diretamente ao senador, sem qualquer constrangimento. 

Fernando Bezerra Coelho aguarda o momento de seu depoimento e reitera sua confiança no pleno esclarecimento dos fatos", escreveu o advogado no comunicado.

Organização Arnon de Mello - O diretor jurídico da Organização Arnon de Mello, Djalma Mello, disse que a empresa está atendendo ao mandado judicial cumprido pela Polícia Federal. “Vamos atender a todas as exigências porque não há nada fora da normalidade”, disse o assessor jurídico.

João Pizzolati, ex-deputado - O advogado Michel Saliba, que defende o ex-deputado João Pizzolati, criticou a operação. "Confio muito na equidade com a qual a ministro Teori Zavascki decide, acho extremamente ponderada. E confio plenamente nas decisões do Supremo. Mas atitudes invasivas me preocupam, achei a operação desnecessária. Nos colocamos à disposição para quaisquer esclarecimentos."

Thiago Cedraz, advogado - Em nota, o escritório onde trabalha Thiago Cedraz disse que "considera uma violência sem precedentes, um atentado ao regular exercício da profissão, medidas autorizadas com base em uma delação negociada por um réu confesso que mente a fim de se beneficiar". 

A nota tambem afirma que "desde as primeiras notícias publicadas na imprensa, o escritório se colocou à disposição das autoridades para repassar informações necessárias à correta compreensão dos fatos. Com reiteradas solicitações. Mas sequer teve uma reposta das autoridades".
No Senado, Collor ataca MPF e fala até em "tragos" de Janot
Terra
Terra
Ampliar
Senador Collor de Mello
Alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, o senador Fernando Collor (PTB-AL) usou a tribuna do Senado nesta terça-feira (14) para atacar o MPF (Ministério Público Federal) e o chefe do órgão, o procurador-geral Rodrigo Janot. Irritado, o ex-presidente falou que o País vive em uma “ditadura do MPF” e fez até menção a um suposto “hábito vespertino” de Janot com a bebida.

“Quem não se lembra daquela foto patética que ele se deixou mostrar, saindo da Procuradoria à noite. Depois de uns tragos que é algo comum de seus hábitos vespertinos, desce do carro e pega um papelão, de salvador da pátria, de forma sorridente, se achando o cara, posa para fotografias. Autopromoção, desperdício do dinheiro público”, disse Collor, em um dos ataques ao procurador.

O senador, que já havia divulgado nota criticando a operação, disse que teve seu apartamento arrombado por agentes liderados por Janot, que teriam recolhido apenas “papéis desconexos”.

“Pior, na minha outra residência (Casa da Dinda), apreenderam outros três veículos de minha propriedade, tudo fazendo parte de uma operação espetaculosa, absolutamente desnecessária, orquestrada com o único intuito mesquinho e mentiroso de vincular a uma organização criminosa bens e valores legalmente declarados e adquiridos”, disse Collor, em referência aos três carros de luxo (uma Ferrari, uma Lamborghini e um Porsche) apreendidos.

Durante o discurso, o parlamentar lembrou de vários pronunciamentos que fez contra o chefe do MPF, como uma “carteirada” que Janot teria dado num hospital do Rio em benefício do irmão, e até fez referência a supostos suicídios de funcionários da procuradoria que teriam sido vítimas de assédio moral.

Apesar de se considerar “humilhado”, Collor disse que não vai se intimidar com a Operação Lava Jato. O doleiro Alberto Youssef disse, em acordo de delação premiada, que o ex-presidente recebeu R$ 3 milhões de propina em um negócio com a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras. “Constrangido, fui. Humilhado, também fui. Mas podem ter certeza que intimidado eu jamais serei”, concluiu.
 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

NOTICIAS DA TARDE
Diversos Opositores históricos do PMDB são cautelosos ao comentarem operação da PF

Parlamentares dizem aguardar investigações


Foto: Arquivo/ALMS

Os deputados estaduais são cautelosos ao comentarem a Operação Lama Asfáltica, que investiga detalhes de contratos com um dos maiores empreiteiros do Estado, João Alberto Amorim, e a administração pública, quando o PMDB estava à frente da gestão.

Os parlamentares do PT, por exemplo, que sempre fizeram oposição ao PMDB no Estado, afirmam que é preciso cautela com o andamento das investigações, mas garantem acompanhar o processo, para depois poder tomar alguma medida.

O líder da bancada petista na Assembleia, o deputado estadual, Pedro Kemp (PT), diz que com a investigação da Polícia Federal, Receita Federal e CGU (Controladoria-Geral da União), os deputados não tem o que fazer, por ora, a não ser acompanhar. “Se for o caso depois fazer algum tipo de encaminhamento ao MPE. Por enquanto é aguardar e acompanhar as investigações”.

“Não vamos antecipar os fatos”, afirma o deputado estadual Cabo Almi (PT). Resta agora, diz, a conclusão dos trabalhos por parte das instituições que deflagraram a operação, e posterior responsabilização dos culpados.

No entanto, segundo o petista, cabe aos parlamentares acompanharem e, se for o caso, o pedido de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). “A Assembleia vai ser obrigada a se posicionar”.

Operação Lama Asfáltica

A Polícia Federal, Receita Federal e CGU (Controladoria-Geral da União) realizaram a operação na última quinta, quando cumpriram 19 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, visando obter detalhes de contratos com um dos maiores empreiteiros do Estado, João Alberto Krampe Amorim dos Santos.

Policiais ficaram trancados por quase cinco horas com João Amorim na residência dele, na Vila Vendas, mas também foram a uma das empresas dele, a Proteco Engenharia, residência do ex-deputado Edson Giroto (PR) e na Secretaria de Obras do Estado, que também tinha contratos com Amorim. Quatro servidores foram afastados do Estado.

Porsche e Lamborghini na casa de Collor

Polícia cumpriu mandado de busca e apreensão em nova fase da Lava Jato.Além da residência de Collor, PF foi à casa de outros dois senadores.


Reprodução/Vídeo

A Polícia Federal (PF) apreendeu nesta terça-feira (14), por ordem do Supremo Tribunal Federal(STF), três veículos de luxo na residência de Brasília do ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTB): uma Ferrari, um Porsche e uma Lamborghini.

Os agentes federais cumpriram nesta manhã mandado de busca e apreensão nas casas de Collor na capital federal e em Maceió na mais recente fase da Operação Lava Jato, batizada de Politeia. Ao todo, o STF expediu 53 mandados de busca e apreensão, que fazem parte de seis inquéritos que investigam políticos com foro privilegiado dentro da Operação Lava Jato.

A Ferrari apreendida na Casa da Dinda, propriedade de Collor que foi usada como residência oficial da Presidência na época em que ele comandou o Palácio do Planalto, é o modelo 458 Italia, cuja edição 2015 custa R$ 1,95 milhão.

Já a Lamborguini apreendida é o modelo Aventador LP 700-4 Roadster, avaliado em R$ 3,9 milhões para o ano 2014.

Além das casas de Collor em Brasília e em Maceió, foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas residências do senador Ciro Nogueira (PP-PI) e do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), em Brasília, na do ex-ministro e ex-deputado Mário Negromonte (PP-BA), na Bahia, e na do ex-ministro e senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE).

A defesa de Collor usou as redes sociais para se manifestar sobre a busca e apreensão em suas residências. No Twitter e no Facebook, os advogados do senador do PTB disseram repudiar com "veemência" a ida dos policiais federais a residência dele.

"A medida invasiva e arbitrária é flagrantemente desnecessária, considerando que os fatos investigados datam de pelo menos mais de dois anos, a investigação já é conhecida desde o final do ano passado, e o ex-presidente jamais foi sequer chamado a prestar esclarecimentos", diz trecho da nota.

Lamborghini foi levada por políciais federais da Casa da Dinda para a superintendência da PF, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

Ferrari apreendida na casa de Collor, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)




 

Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)

ETA, BRASIL
Diversos

Juiz manda vereadores provarem com holerite que não receberam acima do teto

Todos os ex-vereadores que atuaram na Câmara de Campo Grande no ano de 2008 deverão comprovar no prazo de cinco dias que não receberam salários e verbas indenizatórias acima do teto constitucional.

Câmara de Vereadores de Campo Grande
Câmara de Vereadores de Campo Grande

A decisão é do juiz David de Oliveira Gomes Filho, em ação popular que tramita na 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos. Caso não seja comprovado a legalidade, os ex-parlamentares deverão ressarcir os cofres públicos.

A ação é movida pelo juiz, contra todos os vereadores em exercício no ano de 2008, sob o argumento de que os parlamentares estariam recebendo valores superiores aos permitidos em lei. No entanto, de lá para cá, o Ministério Público enfrenta obstáculos para obter os dados em relação aos valores recebidos pelos parlamentares.

O processo foi ajuizado em 2008 e foi determinado durante seu andamento que a Câmara apresentasse discriminadamente quais foram os valores pagos aos vereadores no ano de 2008 e anos anteriores. No entanto, depois de recurso, os gastos foram restritos ao ano de 2008.

Apesar da decisão de restringir o acesso apenas ao ano de 2008, a Câmara chegou a informar gastos parciais, os ofícios com os pedidos foram renovados, no entanto “sem atendimento preciso”, informa o juiz.

QUEBRA SIGILO BANCÁRIO

Desta forma, o Ministério Público pediu a quebra do sigilo fiscal e bancário dos vereadores investigados e da Câmara, a fim de que se saiba exatamente qual foi o valor que os cofres públicos pagaram aos vereadores por mês, e também para os réus comprovem o contrário do que alega o juiz David de Oliveira Gomes Filho.

O pedido de quebra dos sigilos bancários e fiscal, só será realizado depois que o prazo de cinco dias for encerrado.

Ainda na decisão, o juiz David Filho afirma que, para resolver a situação, é necessário aplicar a inversão do ônus da prova (direito garantido pelo Código de Defesa do Consumidor), já que “não há como se saber se alguém ganhou valores públicos acima do limite permitido por lei, se os dados fornecidos pela Casa Legislativa não forem completos e discriminados vereador por vereador”.

Assim, o juiz determinou que cada vereador requerido na ação apresente cópia de todos os holerites no ano de 2008, seja de que título for (diária, ajuda de custo, etc.).

Independentemente do cumprimento individual da determinação, o magistrado determinou ainda que a Câmara Municipal apresente todos os holerites de pagamento de valores com natureza remuneratória e indenizatória, sob pena de remessa de cópia dos autos ao Ministério Público para apuração de infração prevista em lei.

Confira abaixo a lista dos vereadores eleitos em 2004 e em exercício no ano de 2008:

Vanderlei Cabeludo
Alcides Peralta Bernal
Athayde Nery de Freitas Júnior
Maria Emília Sulzer
Celso Hideo Ianaze
Clemêncio Frutuoso Ribeiro
Cristóvão Silveira
Edil Afonso Albuquerque
Edmar Pinto Costa Neto
Grazielle Salgado Machado Nishina
Djalma Blans
José Airton Saraiva
José Almi Pereira Moura
Magali Marlon Picarelli
Marcelo de Moura Bluma
Katatal
Paulo Pedra
Paulo Siufi Neto
Gilmar Olarte
Sérgio Augusto Fontellas dos Santos
Thais Helena Vieira Rosa Gomes


Clique aqui (comentários? | Pontos: 0)


Página selecionada de 1350 páginas.
Fotos

Nova pagina 2


Notícias

Segunda, julho 27
· Após mudança de data, Aciso acontece na quarta-feira (29) em Amambai
· FIQUE SABENDO
· da tarde
· ELEIÇÕES 2015
· NAS MALHAS DA LEI
· CAMPO GRANDE MS
· CAFE DA MANHÃ
Domingo, julho 26
·
· DENILSO VENCE EM CAPITAN BADO, SERÁ O CANDIDATO E FUTURO INTENDENTE
· DESCOBERTOS
· PONTA PORÃ
· GIRO POLICIAL
· FHC
· NOTICIAS
· ZECA DO PT
· FOTOS
· CAFE DA MANHÃ
Sábado, julho 25
· PARABENS CAPITAN BADO 101 ANOS DE GLORIAS
· FIM DE NOITE
· FIQUE SABENDO
· FIM DE TARDE
· Fluminense Dívida
· Casal deixa filho deficiente sozinho e sai para beber
· Governo reduz pauta do diesel e preço deve cair nos postos
· Motociclista de 48 anos é encontrado morto na BR-262
· Bandidos seguem vítima e a fazem refém para roubar caminhonete
· Adolescente fica ferido depois de trator tombar em área rural da Capital
· Prefeitura tem 30 dias para suspender contratos com João Amorim e Baird
· Na aldeia e em guarani, videoclipe mostra realidade indígena ao som do rap
· Sem adesão, grupo pró-futebol deixa abraço de lado, mas faz ato no Morenão

 Calendario de Eventos
Julho 2015
  1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  

Eventos

 Hora Certa

 Amigos do Site!

Image and video hosting by TinyPic




RondPoint Web Services Web site powered by MEGAWEB